Evo: Não Chores por mim Bolivia

Pensata

Por: Val-André Mutran

A megalomania de Chávez é transmissível

Fidel Castro está mais vivo do que nunca e prepara sucessores na faixa Latinoamericana.
Há muitos indícios das intenções de Castro. Seu pupilo, Hugo Chávez conversa a linguagem dos generais. Um forjado na guerrilha com patrocínio soviético. O outro, para fugir da pobreza de sua origem. As trajetórias dos generais socilistas acharam um ponto de intersecção.
Não que Chávez seja um general. Mas, o que importa?
Em Viena, no encontro de Cúpula de Viena, o caçula do grupo bem que tentou.
Evo Morales pode está coberto de boas intenções, só não sabe muito bem o que fazer.
A confusão protagonizada por um homem de origem humilde, que aderiu ao movimento sindicalista dos plantadores de coca, colocaram-no na trajetória política que alertou o povo de seu país a necessidade de entender uma outra alternativa ao modelo de governança adotado pelos presidentes anteriores.
- Sem comentários quanto a esta intenção. É soberana e necessária.
Entretanto, ao contrário do planejado, a forma como as empresas que investiram bilhões de dólares na quele país, nunca poderiam ser vistas pelo novo líder do povo boliviano como entes demoníacos que operam nas sombras do capitalismo neo colonialista.
O presidente boliviano, Evo Morales, manifestou hoje seu desejo de integrar a Organização dos Países exportadores de Petróleo (OPEP). Palmas para ele!
Talvez nunca seja aceito. A OPEP não aceita sócios que rasgam contratos justificados em decisões nacionalistas e políticas.
A cúpula da organização dos Estados produtores de petróleo, é, em sua maioria, teocracias que se matam por questões religiosas e territoriais. Porém, não quebram contratos. Sua única arma é o petróleo o gás natural. Recursos que terão fim em data próxima. E a OPEP não terá mais nada.
A simpatia por Castro e Chávez vai levar a Bolivia ao isolamento internacional.
A tentativa de desqualificar Lula, não vingará.
Destaco que o presidente, quer queira eu ou não, foi eleito pela escolha das urnas, de maneira democrática, mesmo se utilizando do recurso ilegal do Caixa 2. Se não foi afastado, paciência, deve estar agradando e a renovação democrática do voto é lei no Brasil.
Lula é o presidente do Brasil, e fomos (o povo brasileiro) vítimas de uma rasteira atrós de serpentes comandadas por um velho ditador inexpressivo que arruinou a sua Ilha.
O cômplo continua em curso e o Brasil deve se posicinar mais à altura de sua importância em relação à esses dinossauros populistas.
E Lula? Foi expulso da turma?

Nenhum comentário: