Palavra de especialista

As polícias políticas

Do blog do
Roberto Jefferson

Hoje, no Brasil, parece ser cada vez mais claro que as polícias civil e federal, ou seja, a polícia subordinada ao poder de um governador e a polícia subordinada ao poder de um presidente, são usadas com fins políticos e eleitoreiros.

Enquanto ocorre a busca por manchetes nos jornais para favorecer este ou aquele candidato, as garantias individuais e as obrigações da polícia vão quase desaparecendo, sendo esquecidas, pode se dizer mesmo, escondidas. É o que mostra o texto abaixo.


O PCC do PTT; PSDB da Daslu


"Petistas se reuniram com PCC, diz Saulo. Segundo secretário da Segurança Pública, alguns inquéritos mostram 'correlação e certa simpatia'".

"Há duas semanas, em entrevista ao programa 'Canal Livre', da TV Bandeirantes, o próprio Saulo afirmou que havia um inquérito em curso, com provas que mostram que o PT estava por trás de ações do PCC. O objetivo, segundo disse na entrevista, seria desgastar Geraldo Alckmin, candidato a presidente pelo PSDB". (jornal Folha de São Paulo)

Ao ser indagado se armou escutas telefônicas para comprometer o PT, o Secretário de Segurança, Saulo de Castro, respondeu que as mesmas estão em "inquérito público". A Folha de São Paulo também identificou que os grampos telefônicos nos quais dois presidiários foram flagrados discutindo ordens para que "todos os políticos, menos do PT" fossem alvos dos criminosos do PCC, foram realizados pelo Ministério Público de São Paulo.

Ontem e anteontem, em toda a imprensa, a Polícia Federal vazou uma conversa do vice-governador do Amazonas, feita no celular com o presidente da Assembléia Legislativa, pressionando-o a incluir na pauta de votação, uma emenda que criava uma pensão vitalícia de 20 mil reais mês, para ele e paga pelo povo amazonense. Não há crime ou conduta criminosa a ser investigado, pela PF, contra o vice. Sua conduta é politicamente incorreta - não na questão policial, sim eleitoral - mas a Polícia Federal vazou a fita só e com o único intuito de desmoralizá-lo publicamente.

Todas as escutas telefônicas, que servem de provas contra os "sanguessugas", foram realizadas pela Polícia Federal a partir de agosto de 2005 até fevereiro de 2006. Com um expediente ilegal, grampeado o assessor para apanhar o parlamentar, cuja quebra de sigilo só pode ser autorizada pelo STF. Mas, como dizem os artistas do PT, os fins justificam os meios.

O "mensalão" explodiu em junho de 2005, o "contra-mensalão" explodiu em 2006, no mesmo dia que Silvio Pereira foi depor na CPI . Ofensiva e contra-ofensiva. Marketing policial. Ladrões de lá, ladrões de cá. Seus bandidos, meus bandidos. Companheiros desonestos. Camaradas canalhas.

A batalha política está sendo jogada na delegacia policial. Delegacia estadual de São Paulo, delegacia de Polícia Federal. Cada qual com sua política, com seu partido, apostando no manchetismo das ações policialescas e pirotécnicas.

Há nitidamente uma violação de direitos e garantias constitucionais, praticada pelos dois lados com fins eleitorais. Minha polícia é melhor que a sua. Sua turma é pior que a minha.

A coisa vai por aí: PCC do PTT ; PSDB da Daslu.

O quadro é melancólico.


Palavra de especialista.

Nenhum comentário: