Sem chance de Paz

Islam For Today

















Não há qualquer possibilidade que o presidente americano George W. Bush retroceda na ocupação do Iraque. Bush acusa a Síria de fornecer armamentos para o Hizbollah, indo além, garantindo que o país é um dos financiadores do terrorismo internacional.

Em trecho de reportagem publicada hoje pelo Los Angeles Times (em inglês), o presidente americano explicou que a Agência de Energia Atômica Internacional estava reportando para as Nações Unidas que o Irã tinha aparente urgência em tocar adiante o seu programa para enriquecer urânio, Bush disse, "Nós não devemos deixar o Irã desenvolver uma arma nuclear."
O primeiro terço da matéria W. Bush bate na retórica da guerra contra o terrorismo, a democracia e a liberdade.

Mas o tom subiu alguns diapasões. Pelo andar da carruagem, Bush prepara outra ação espetacular antes de entregar o cargo. Não deve haver susto se a decisão for pela invasão do Irã e aniquilamento do Programa Atômico em curso. Israel dará todo o apoio necessário para a operação. Sabe que nesse caso o ataque será a melhor defesa. O Irã não exitará em lançar um artefato nuclear sobre a cabeça dos israelitas - a quem detestam e nutrem ódio mortal.

O vértice do triângulo fecha com o apoio britânico, já que o atual primeiro-ministro Tony Blair, anda com a popularidade baixa em todo o Reino Unido, nada melhor que uma guerra para elevar o moral, caro Watson.

Bush, obviamente, não tem interesse nenhum de deixar a Casa Branca para a favorita nas pré-pesquisas à sua sucessão, a democrata Hillary Clinton, senadora pelo Estado de New York.

Rússia e China podem evocar o direito de veto ao qual têm direito na ONU à uma provável ação militar no Irã. Por enquanto, o cenário sustenta espaço para entendimentos diplomáticos.

Deus e o Mundo espera por isso.

Nenhum comentário: