A negociata do lixo

Depois das prefeituras petistas que enriqueceram o Caixa 2 de suas campanhas via associações suspeitas com empresas de recolhimento do lixo. A pilantragem faz "escola".

O blog sugere ao Ministério Público Federal uma devassa em Belém, Canaã dos Carajás e Parauapebas. Vai supreender-se com o que verá.

Aqui em Brasília o negócio já está pegando e vai virar caso de polícia, como os demais.

O bilionário e suspeito negócio do lixo no DF

O serviço de limpeza do Distrito Federal virou caso de polícia. Mesmo assim corre o risco de continuar, por mais seis meses, nas mãos da Qualix, acusada pelo Ministério Público e pelo Tribunal de Contas do DF de se beneficiar de um esquema criminoso. A prorrogação vai render pelo menos R$ 50 milhões a mais à empresa, que foi contratada pela Belacap sem licitação e já custou R$ 719,8 milhões aos cofres públicos desde 2000. Desculpa de evitar o caos no sistema de recolhimento das mais de duas mil toneladas de lixo por dia é usada pelo GDF para manter o grupo, que além das acusações de superfaturamento responde por danos ao meio ambiente. Licitação suspensa prevê contrato de R$ 1 bilhão para os próximos cinco anos.

Nenhum comentário: