Deputado gaúcho a bordo




Foto: Fabio Pozzebom/ABr






















Fernanda Guzzo e Sandro Lima

Líder da minoria Júlio Redecker viajaria para os Estados Unidos com o presidente da Câmara

O deputado Júlio Redecker (PSDB-RS), líder da Minoria no Congresso Nacional, estava no avião da TAM que se acidentou ontem no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A informação foi confirmada pela assessoria do parlamentar. Ele tinha viajado à capital paulista para se encontrar com o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP). Os dois embarcariam juntos ontem mesmo para os Estados Unidos, onde tinham agenda de encontros com autoridades do Congresso americano, entre elas a presidente da Câmara, Nancy Pelosi. Chinaglia cancelou a viagem oficial logo após receber a notícia do acidente.

Segundo informações da Câmara dos Deputados, Chinaglia preferiu ficar no Brasil para acompanhar de perto o caso, inclusive a divulgação dos nomes de vítimas. Um dos assessores de Redecker informou ao Correio que a mulher e uma das filhas do deputado esperavam por ele no Aeroporto de Congonhas. Redecker, 51 anos, recém-completados no dia 12 de julho, está no seu quarto mandato na Câmara dos Deputados.

Ligado ao setor produtivo gaúcho, o parlamentar teve uma infância simples no Rio Grande do Sul. Nascido na pequena cidade de Taquari, foi ainda muito jovem para Porto Alegre. Começou na política no movimento estudantil. Foi filiado à Arena e permaneceu na sigla por 30 anos e depois passou por vários partidos. Em 2003, entrou para o PSDB.

No último mandato, teve o desafio de ser o sub-relator da CPI das sanguessugas. Participou também da CPI do Mensalão. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou consternado ao saber da presença de Redecker na aeronave, segundo informação do ministro Franklin Martins (Comunicação Social).

Ontem à noite, a liderança do PSDB no Senado divulgou nota sobre o acidente no Aeroporto de Congonhas. Na mensagem, assinada pelo senador Arthur Virgílio (AM), o partido presta solidariedade às famílias das vítimas e pede rigorosa apuração das causas do acidente. “Há meses que o PSDB denuncia os problemas sobejamente conhecidos que afetam o tráfego aéreo e os principais aeroportos do país e reclamando providências das autoridades”, diz a nota.

Incompetência
Numa outra carta, de cunho pessoal, Virgílio acusou o governo de Lula de “incompetência geral, corrupção e insinceridade” no trato da crise aérea brasileira. E pediu que o presidente Lula “pise no chão da realidade”. Virgílio se disse “ferido’ com a notícia do acidente que envolveu o líder da minoria. “O presidente Lula precisa agir e não falar, ou o seu período se marcará pelo sofrimento e pela dor de tantos brasileiros que poderiam estar vivos, lutando, sofrendo, sorrindo e construindo um Brasil mais justo.”

O DEM também divulgou nota lamentando o acidente. “Os Democratas, com muito pesar, transmitem às famílias das vítimas do acidente com um avião da TAM, ocorrido no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, a sua solidariedade na dor e na revolta. Junto com outros passageiros estava o deputado federal Júlio Redecker, do PSDB do RS, político que honrava sua família, seu Estado, o Congresso Nacional e os muitos amigos”, afirma a nota. O deputado federal Rodrigo Maia (RJ) comunicou, por meio do documento, que o partido discutirá no momento oportuno as causas da tragédia.

Nenhum comentário: