Infraero não será investigada sobre responsabilidades do acidente da TAM

O ministro da Justiça Tarso Genro pode falar o que bem entender. Mas, se o titular desse blog fosse parente de uma das vítimas, a primeira ação que moveria seria exatamente contra o governo ao qual pertence, o "insuperável" Pê Tê.

Inquérito da PF é medida preventiva, diz ministro


Segundo Tarso Genro, determinação do presidente não revela suspeita.

Infraero não será investigada, afirmou.

MIRELLA D'ELIA Do G1, em Brasília

O ministro da Justiça, Tarso Genro, disse nesta quarta-feira (18) que a determinação do presidente Lula para que a Polícia Federal (PF) abra inquérito para investigar as obras na pista do Aeroporto de Congonhas é uma medida preventiva e não revela nenhuma suspeita ou acusação.

"Isto não é um juízo antecipado do assunto. Não é uma acusação a nenhum ente público. Mas é uma precaução do presidente para que todos os setores que podem ser investigados sejam investigados para que tudo seja absolutamente esclarecido", disse Tarso Genro, em entrevista do Ministério da Justiça.

O ministro classificou o acidente com o avião da TAM no Aeroporto de Congonhas como um "assunto de extrema gravidade e dramaticidade".

Infraero – Segundo Tarso Genro, o inquérito da Polícia Federal vai verificar se a pista de Congonhas foi entregue em "condições técnicas adequadas de uso", negando que a investigação da PF tenha sido determinada por causa de suspeitas sobre a Infraero.

"Trata-se de um inquérito da Polícia Federal porque houve mortes e não um inquérito no interior da Infraero. Esse inquérito vai verificar se a pista foi entregue de maneira adequada", explicou.

Nenhum comentário: