Pitta acusa a PF de nazista

O ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta, o investidor Naji Nahas e mais cinco pessoas, todos acusados de envolvimento com operações de desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro, deixaram a carceragem da Polícia Federal à 0h50 de ontem. Nahas foi o primeiro a sair, portando uma mala com seus pertences. Pitta apareceu em seguida, falando ao celular (Estadão).

O ex-Prefeito "Lalau" de São Paulo, Celso
Pitta divulgou uma nota na qual afirma sua inocência no episódio, que qualifica como um “imbróglio arquitetado com intenções claramente eleitoreiras”.

Ele também repudia a ação da PF, que o prendeu em casa, dizendo que trabalha, tem endereço conhecido e nunca se recusou a atender à Justiça. “O momento que vivi naquela madrugada, surpreendido com uma operação que trazia a reboque câmaras e holofotes, fez-me lembrar dos piores tempos do regime nazista, que nem a ditadura brasileira se atreveu a repetir.”

Pitta mente. Ele não tem mais qualquer peso em qualquer decisão política no Estado de São Paulo. Depois de sua saída pela porta dos fundos da vida pública, o ex-prefeito de São Paulo e até então braço direito do manjadíssimo Paulo Maluf, concorreu três vezes à uma vaga a Deputado Federal por São Paulo. Perdeu as três.

O nacional buscava, na verdade a indecente prerrogativa do foro privilegiado que o bom senso do eleitor paulista negou-lhe.

O deboche dessa gente chega a tal nível de certeza da impunidade de seus atos que, segundo a advogada de Pitta, Ruth Stefanelli, “dificilmente ele voltará à prisão”.

Comentário do blog: O que Pitta fez é o que?

Brasil: Um País de Todos... Tolos!!!

Nenhum comentário: