Investimento em ações é alto risco

''Foi tudo para o ralo''

"Agora é esquecer que eu tinha esse dinheiro. Vou ficar alguns meses sem olhar o Ibovespa. O que ganhei em 2006 e 2007 já foi para o ralo mesmo." O depoimento, registrado no site de relacionamentos Orkut, ilustrava a desilusão de muitos investidores internautas com a queda e interrupção dos negócios da Bovespa ontem.

"Hoje vai ter gente se enforcando no fim do expediente", escreveu um internauta. "Vou partir para a querida poupança", dizia outra. "Comprar ações? Vou comprar outro tênis, o meu está ficando sem sola", resignava-se outro. Todos faziam parte da comunidade O investidor agressivo, que reunia 10.115 membros.

No fórum de discussões da comunidade, além de lamentos, havia tentativas de prever o futuro. "O prazo de recuperação (da bolsa) é de 18 meses. Quem sobreviver a essa era vai ganhar muito dinheiro depois que normalizar. Mas só quem sobreviver", profetizava um participante. "Onde está o ministro Mantega agora? Cadê a economia sólida?", questionavam outros.

O criador da comunidade, Allan Arantes, de 30 anos, ex-engenheiro de telecomunicações que desde 2001 se dedica a ser "investidor agressivo profissional", não se surpreendeu com a turbulência do mercado, que chegou a paralisar os negócios na Bovespa - o chamado circuit breaker. "Mas eu nunca tinha visto isso acontecer como investidor ativo." Ele diz que não pensa em deixar a bolsa agora, mas confessa que vai se resguardar em papéis um pouco mais seguros, como os da Petrobrás. "De qualquer modo, vou seguir firme, aplicando com foco na volatilidade. Tem de aproveitar as ondas e tomar cuidado com a ressaca. Surfista não surfa com mar parado."

INCREDULIDADE

Em poucas horas, as dúvidas e os comentários se multiplicavam nos fóruns de discussão da internet, que se tornou o principal veículo de expressão para os iniciantes na Bolsa - o Orkut já tinha 14 membros na recém-criada comunidade Circuit breaker - Eu vi.

"Não esperava passar por este momento tão cedo e tão repentinamente", contava o bancário Farley Souza, de 25 anos, investidor em ações há três. "Foi tudo num piscar de olhos. "

Fonte: O Estado de S. Paulo.

Nenhum comentário: