Concurso do senado sob judice

O Ministério Público do Distrito Federal impetrou representação na Justiça pedindo o cancelamento das provas subjetivas às vagas do concurso público do Senado Federal alegando que faltou detalhamento dos critérios de pontuação e correção do teste.

Para justificar a ação civil pública, o procurador da República apresenta outros processos movidos pela mesma razão, como no concurso da Câmara dos Deputados promovido pela Fundação Carlos Chagas. Nesse caso, a Justiça concedeu o pedido de liminar anulando a segunda fase do concurso para comunicação social — imprensa escrita, televisão e divulgação institucional. As provas, que ocorreram em janeiro deste ano, serão reaplicadas, porém ainda não há data.

O pedido de anulação atinge 90,56% dos candidatos inscritos, pois diz respeito a cargos de quatro dos cinco editais que compõem a seleção. As exceções são os postos de advogado e consultor, que farão prova subjetiva no próximo domingo. Para evitar maiores problemas, o MPF recomenda que os critérios de correção sejam publicados antes da prova.

Até questões clonadas de outros concursos foram detectadas nas provas arranhando a imagem da Fundação Getúlio Vargas, uma das mais respeitadas do país.

Com Correio Braziliense.

Nenhum comentário: