Demissões em massa em todo o país

A Maxion em São Paulo, gigante do setor automotivo, acaba de anunciar a demissão em massa de 1.500 trabalhadores.

A Magnesita em Minas e na Bahia, maior empresa de refratários do Brasil e a 10ª do mundo, acaba de presentear seu funcionários com milhares de demissões.

A Vale mineradora brasileira e a 2ª maior do planteta, bancou o papai noel a mais de 2,5 mil funcionários e deixou quase 3 mil em expectativa de receber um grande bilhete azul.

A Votorantim consedeu férias coletivas e não se fala outra coisa que não o "pacotão" de demissões que está prestes a ser divulgado.

Todos os "presentes" generosamente distríbuídos às vésperas do Natal. Todas as empresas beneficiadas com gordos recursos do BNDES, oriundos do Fundo de Amparo ao Trabalhador.

Na reunião que Lula teve com 29 empresários, na quinta-feira passada, o representante do grupo Votorantim, Carlos Ermírio de Moraes, defendeu a adaptação da legislação trabalhista para os períodos excepcionais como o atual. O secretário de Trabalho de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, vem há tempos defendendo medidas neste campo, e o presidente da Vale, Roger Agnelli, que não foi à reunião, argumentou no mesmo sentido.

A pergunta que não quer calar.

– O presidente Lula vai continuar emprestando dinheiro e reduzindo o IPI para essa turma?

– E o trabalhador? Que não criou a crise, terá que pagar com seu emprego?

Isso é só o começo...

Um comentário:

JULIANO BERTIN disse...

Simplesmente estamos no Brasil, onde não existe controle da natalidade. Quando existir, para o Brasil, daqui uns 100 ou 200 anos quando acordar-mos para esta realidade, seremos mais felizes. Minha visão pessoal: Um filho de RICO, tem 90% de chance de se tornar um empresário empregador gerando empregos e empregos, e tem 10% de chance de se tornar um cálo para a sociedade... Um filho de POBRE (miserável), tem 90% de chance de se tornar um trantorno para a sociedade e 10% de chance de se tornar quem sabe alguém na vida. Portanto, com todo o respeito nos seres humanos. POBRE só sabe fazer filhos e filhos. Então, o que estamos fazendo para resolver isso? Controle da natalidade é a única solução, para os POBRES MISERÁVEIS e não para os póbres de classe média.