No Pará, líder do MST justifica invasão como represália à declarações do presidente do STF

Não, o MST não é nada do que o presidente do STF, Gilmar Mendes declarou à imprensa nesta semana.

As verbas repassadas pelo governo e que indiretamente beneficia o MST, não é nada do que declarou o ministro que preside a mais alta corte do país. Portanto, está a berta a temporada do samba do crioulo doido, pós-Folia de Momo.

A letra está aqui.

Se o líder do MST no sul do Pará, porta voz, ou seja lá o que o tal de Ulisses Manaças é. Em declarando o que declarou, o blog, com muita curiosidade pergunta:

Esse sujeito não é passivo de averiguação de um inquérito policial para verificar suas afirmações ao assumir a liderança de um crime de invasão de propriedade particular com intenções de esbulho possessório?

Não interessa se de Daniel Dantas ou do ex-presidente FHC.

De um pequeno comerciante ou de um grande empresário rural.

A resposta seria sim, num país onde as leis são cumpridas; mas a mais cristalina verdade é que não. Um sonoro não na Terra de Direitos. Fantasiosa peça publicitária propagada pelo atual governo de Ana Júlia Carepa, que, a tudo vê, e faz de conta que não é com ela.

Terra de direitos aviultados. Terra de sonhos de uma noite de Verão, portanto, pode-se prever: passageiros.

Esse país está caminhando para a esculhambação completa. E a ousadia dos políticos, avançando cada vez mais nos direitos constitucionais dos cidadãos é, no mínimo, preocupante.

Nenhum comentário: