Empregados da carreira profissional da Caixa entram em greve

Não cessam as pressões ao governo aos necessários avanços à funcionários públicos de carreira.
Leia abaixo o protesto dos funcioario da Caixa.
Na lista das demais carreiras, não há exceção. O funcionalismo público federal encontra-se abandonado e, por isso, restam-lhes o protesto, lançando mão à ferramentas como a greve.

A CAIXA é um banco público que serve ao povo brasileiro. Conta hoje com um quadro de profissionais composto por cerca de 1.300 engenheiros e arquitetos, 930 advogados e 147 integrantes de outras especialidades, totalizando 2.377 profissionais. Estes profissionais são responsáveis pelas análises de engenharia, de avaliação, pelo acompanhamento de empreendimentos e pela assistência técnica aos municípios e entidades sociais, dentre outras atividades. São essas atividades que possibilitam a execução de programas como o Fundo Nacional de Habilitação de Interesse Social (FNHIS), Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Minha Casa, Minha Vida, dentre outros. No âmbito jurídico, além das análises técnicas, vinculadas aos programas e fundos acima referidos, os profissionais realizam a defesa da Caixa em atuação preventiva (no âmbito interno) e contenciosa, no Judiciário, em matérias relativas ao FGTS, Fies, FCVS, Loterias, OGU, penhor, SFH e tantos outros, em típica atuação de advocacia pública.

No Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2008/2009, a CAIXA se comprometeu a revisar a estrutura da carreira, implantando as alterações a partir do primeiro trimestre de 2009, como forma de valorizar o Quadro Profissional, composto por engenheiros, arquitetos, advogados, psicólogos, médicos e odontólogos.

A proposta apresentada pela Empresa, após o prazo ajustado para a sua implantação, além de não reestruturar a carreira, contemplou uma remuneração bem inferior ao daquela percebida pelos profissionais que desempenham atividades semelhantes nos demais órgãos do serviço público e manteve as incongruências anteriores.

Como forma de mostrar a sua indignação ao proposto até o momento pela Caixa e reafirmar a legalidade e a legitimidade do pleito, desde o dia 28/04/2009 os membros do Quadro Profissional da Empresa estão em uma greve nacional, por tempo indeterminado, paralisando suas atividades em todas as unidades do país, último recurso de que se valem, para sensibilizar a direção da Empresa de que um Quadro Técnico valorizado é bom para a CAIXA e para o Brasil.

ANEAC - Associação Nacional dos Engenheiros e Arquitetos da CAIXA

ADVOCEF - Associação Nacional dos Advogados da CEF.

Um comentário:

John Oba disse...

O que é mais estranho é governo federal fazer tanta propaganda sobre PAC, Minha Casa Minha Vida, etc e não valorizar os profissionais que irão controlar a aplicação das verbas do orçamento. O Engenheiros da caixa, e seus assistentes (os arquitetos), devem ser valorizados pelo governo. Nem tudo é política, afinal alguem tem que trabalhar.