Aposentados e Pensionistas na mídia

Nervos à flor da pele
À beira de um ataque de nervos, o líder do governo na Câmara, deputado Henrique Fontana (PT-RS), pediu ontem ao senador Paulo Paim (PT-RS), a representantes dos pensionistas do INSS e a líderes da base e da oposição, um novo prazo para levar à votação o reajuste dos aposentados e a extinção do fator previdenciário.

Custo
A derrota do governo na questão dos aposentados tem custo estimado de R$ 35 bilhões
A aprovação do PL 58 de 2003, que atualiza o valor das aposentadorias e pensões do INSS, R$ 76 bilhões

Centrais
Fracassou a negociação do secretário-geral da Presidência, Luiz Dulci, com a CUT e a Força Sindical para chegar a um acordo sobre os aposentados. A conversa será retomada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que retornou ontem da Líbia.

Fonte: Correio Braziliense.

----------------------------------

Aposentados
O governo federal e o deputado Pepe Vargas estão brincando com os aposentados. Desde fevereiro estão estudando a situação e até agora não apresentaram nenhuma proposta. Já morreram muitos e morrerão vários outros. Assim sobrará mais dinheiro para emprestar ao FMI.

Fonte: Zero Hora.

----------------------------------

Previdência
Seria de bom tom que fosse divulgado o nome dos deputados e senadores que votarem contra a proposta de reajustar a remuneração dos aposentados e pensionistas do INSS de acordo com o reajuste dado ao salário mínimo para que possamos excluí-los em futuros pleitos eleitorais (Gazeta, 1/7). A geração de aposentados que aí está foi responsável pelo desenvolvimento e enriquecimento deste país, e não os parlamentares que agora lhes negam uma remuneração digna, condizente com seu passado. É imperativo que saibamos quem vai votar contra.

Fonte: Gazeta do Povo.

3 comentários:

Anônimo disse...

Os valores pouco representam se for considerado o número de aposentados. Inteligente seria, mas aí é pedir muito para um governo tendencioso e traiçoeiro e que quer garantir os "companheiros", que fizesse um análise de quanto custa um deputado, senador, juiz, servidor aposentado. Esse tem proventos integrais e nem por isso carregam, ou são culpados pelo "déficit" nas conta públicas, pois a regime apresenta saldo negativo. Esquecimento de análise confortável do Henrique Fontana (PT RS). Marlene

Anônimo disse...

O HENRIQUE FONTANA DEVERÁ ANALISAR NOS REAJUSTES ABAIXO E, AQUELES QUE SÃO DOS INATIVOS, COMPARAR OS GANHOS "PER CAPITA" COM OS DA PREVIDÊNCIA GERAL (INSS). ISSO FEITO, ENTÃO TERÁ UM CRISE DE NERVOS E VERÁ O QUANTO CUSTA PARA O SETOR PRIVADO "SUSTENTAR" ESSA TURMA, MAIS. CLARO0, O BOLSA-FAMÍLIA(A FUNDO PERDIDO).



Comunicado do Governo em 03.07.2009, pela imprensa:

"Apesar da queda de arrecadação registrada nos primeiros meses do ano, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, confirmou ontem(03.07.2009) que o governo pagará os reajustes dos servidores públicos previstos para este ano. Cerca de 1,6 milhão de funcionários serão beneficiados com o aumento, que custará 29 bilhões em 2009. E em 2010, em pleno ano eleitoral, o governo gastará mais R$ 40,1 bilhões com reajuste aos servidores.

OBS.: incluem-se os inativos com paridade de remuneração aos da ativa.


"Bolsa-Família, diz governo, aumenta para atacar crise
Noticiado em 04.07.2009


Brasília — A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, confirmou ontem que o governo elevará o valor dos benefícios do Bolsa-Família ainda neste ano. O Bolsa-Família, que atende cerca de 12 milhões de famílias, é o principal programa social do governo Lula de transferência direta de renda.
Dilma disse que o governo considerou que a parte mais pobre da população também precisava ser atendida pelas medidas de combate à crise e de geração de emprego. Segundo ela, os debates sobre o tema com o ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, começarão imediatamente.
Pré-candidata à Presidência da República, ela rebateu as críticas de que as decisões do governo, como aumento do Bolsa-Família e reajuste de servidores, visam as eleições. 'Em alguns momentos eu tenho certeza que sou estigmatizada por questões eleitorais. Então, o que a gente pode fazer? Virou tudo eleitoral', argumentou.
Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), os benefícios do programa variam entre R$ 20,00 e R$ 182,00. Em janeiro, o governo aumentou de R$ 120,00 para R$ 137,00 o limite de renda mensal per capita das famílias que podem ser incluídas no programa. Com a medida, serão beneficiadas mais 1,3 milhão de famílias este ano. Inicialmente, o orçamento do MDS previa R$ 11,4 bilhões para o Bolsa-Família. A decisão eleva o montante para R$ 11,9 bilhões, ante R$ 10,6 bilhões no ano passado.
O último reajuste, que ficou em 8%, ocorreu em julho de 2008. O valor médio passou de R$ 78,00 para R$ 85,00. A bolsa de R$ 30,00 paga aos adolescentes não sofreu correção. O primeiro reajuste foi feito em agosto de 2007: 18,25%. Levou em conta o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), entre outubro de 2003 e maio de 2007. O ministro Patrus Ananias disse que soube pela imprensa que o presidente Lula já tomou a decisão de reajustar o benefício ainda neste ano."

Anônimo disse...

Henrique Fontana (PT RS) deveria calcular o que custa os proventos de um agente político e administrativo para os cofres públicos e, só então, ter a crise de nervos. O setor produtivo precisa pagar tudo isso e ainda ser "obrigado" a ter de aceitar a indigência quando da aposentação. Se crise de nervos resolvesse os aposentados já teriam tudo resolvido.
Se aposentação abonado é boa para os parlamentares, também será para os da previdência geral. Isso só não é lógico para o governo que inverteu a pirâmide (produz pouco e ganha muito).
Dinheiro não falta, leiam abaixo:
Comunicado do Governo em 03.07.2009, pela imprensa:

"Apesar da queda de arrecadação registrada nos primeiros meses do ano, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, confirmou ontem(03.07.2009) que o governo pagará os reajustes dos servidores públicos previstos para este ano. Cerca de 1,6 milhão de funcionários serão beneficiados com o aumento, que custará 29 bilhões em 2009. E em 2010, em pleno ano eleitoral, o governo gastará mais R$ 40,1 bilhões com reajuste aos servidores.

OBS.: incluem-se os inativos com paridade de remuneração aos da ativa.


"Bolsa-Família, diz governo, aumenta para atacar crise
Noticiado em 04.07.2009


Brasília — A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, confirmou ontem que o governo elevará o valor dos benefícios do Bolsa-Família ainda neste ano. O Bolsa-Família, que atende cerca de 12 milhões de famílias, é o principal programa social do governo Lula de transferência direta de renda.
Dilma disse que o governo considerou que a parte mais pobre da população também precisava ser atendida pelas medidas de combate à crise e de geração de emprego. Segundo ela, os debates sobre o tema com o ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, começarão imediatamente.
Pré-candidata à Presidência da República, ela rebateu as críticas de que as decisões do governo, como aumento do Bolsa-Família e reajuste de servidores, visam as eleições. 'Em alguns momentos eu tenho certeza que sou estigmatizada por questões eleitorais. Então, o que a gente pode fazer? Virou tudo eleitoral', argumentou.
Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), os benefícios do programa variam entre R$ 20,00 e R$ 182,00. Em janeiro, o governo aumentou de R$ 120,00 para R$ 137,00 o limite de renda mensal per capita das famílias que podem ser incluídas no programa. Com a medida, serão beneficiadas mais 1,3 milhão de famílias este ano. Inicialmente, o orçamento do MDS previa R$ 11,4 bilhões para o Bolsa-Família. A decisão eleva o montante para R$ 11,9 bilhões, ante R$ 10,6 bilhões no ano passado.
O último reajuste, que ficou em 8%, ocorreu em julho de 2008. O valor médio passou de R$ 78,00 para R$ 85,00. A bolsa de R$ 30,00 paga aos adolescentes não sofreu correção. O primeiro reajuste foi feito em agosto de 2007: 18,25%. Levou em conta o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), entre outubro de 2003 e maio de 2007. O ministro Patrus Ananias disse que soube pela imprensa que o presidente Lula já tomou a decisão de reajustar o benefício ainda neste ano."
Lorena - SP