Parlamentares tentarão novo acordo sobre reajuste de aposentados

clip_image001

O deputado Paulo Pereira da Silva (ao centro) disse que consultará as bases sobre a proposta do governo.

Deputados, sindicalistas e representantes do governo se reuniram nesta quarta-feira, mas ainda não chegaram a um consenso.

Ficou para a terça-feira (18) uma nova tentativa de acordo com o governo em torno do reajuste para os cerca de 8 milhões de aposentados e pensionistas que recebem mais de um salário mínimo. Para oferecer um aumento acima da inflação, o Executivo quer que as centrais sindicais aceitem a retirada de quatro propostas: o fim do fator previdenciário (PL 3299/08); o PL 4434/08, que recupera o número de salários mínimos recebidos na data da concessão da aposentadoria; a emenda do senador Paulo Paim (PT-RS) ao PL 1/07 que garante, às aposentadorias, os mesmos percentuais de reajuste do mínimo; e o reajuste de 16% às aposentadorias aprovado pelo Congresso e vetado pelo Palácio do Planalto (o veto ainda pode ser derrubado).

A ideia do governo é propor, no lugar dessas matérias, um texto englobando toda a nova política para as aposentadorias maiores que o salário mínimo.

Porém, o presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), disse que os representantes dos trabalhadores não tinham, na reunião desta quarta-feira, legitimidade para aceitar de imediato a proposta de retirada dos projetos. Por isso, eles vão "consultar as bases" e voltarão a se reunir com o Executivo na próxima terça.

"Nós até dissemos: não adianta dar hoje 10% de aumento para o aposentado se não for resolvido o problema do fator previdenciário. Precisa ser uma proposta global. Temos dificuldades de dizer que dá para abrir mão de um projeto hoje, porque há condição de fazer andar essas propostas na Câmara. Então, é necessário haver garantia de que as propostas a serem apresentadas pelo governo contemplarão os trabalhadores", ressaltou.

Dificuldades financeiras

O deputado Pepe Vargas (PT-RS), relator do projeto sobre o fim do fator previdenciário, disse que o reajuste de 7% antecipado pela mídia é uma especulação. Ele deu sinais de que, embora acima da inflação, o percentual a ser oferecido poderá não satisfazer os aposentados.

"O governo acha que há condições para dar reajuste superior ao INPC para os aposentados que ganham acima do mínimo. O que foi dito é que essa proposta foi negociada com a área econômica tendo em vista o atual momento de queda de arrecadação, de maior dificuldade financeira para o governo. Mas não foi apresentado o percentual", explicou.

Obstáculos

Pepe Vargas acrescentou que a discussão sobre o fator previdenciário avançou nesta quarta-feira, mas restam dois pontos divergentes. O primeiro é quanto à forma de cálculo do valor da aposentadoria. De um lado, o governo quer que sejam levados em conta 80% dos maiores salários de contribuição; do outro, as centrais sindicais defendem os 60% maiores.

O segundo ponto diz respeito aos aposentados que não atingirem o chamado "fator 85/95" - em que a soma da idade com o tempo de contribuição resulta em 85, para as mulheres; e 95, para os homens. O governo quer, nesses casos, a aplicação do fator previdenciário. Já as centrais sindicais defendem, segundo Pepe Vargas, um redutor mais brando.

Também participaram da reunião de hoje o líder do governo na Câmara, deputado Henrique Fontana (PT-RS); o ministro da Previdência, José Pimentel; o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Luiz Dulci; o presidente da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas, Warley Martins; e o presidente da CUT, Artur Henrique. O encontro aconteceu na sede provisória do governo, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília.

22 comentários:

waldir disse...

Qualquer coisa que o Governo propor será injusto, pois não contemplará o que nos tiraram por anos e anos.
Waldir Dasso Fernandes
waldassofer1@gmail.com

Anônimo disse...

Senhores deputados. O senado já aprovou os quatro projetos por unanimidade, será que os deputados não podem fazer o mesmo? Fim do Fator Previdenciário e reajuste das aposentadiorias igual para todos é o mínimo que o povo necessita.
Sergio

Geraldo de Azevedo disse...

O governo sempre foi opressivo, caloteiro, e mal pagador, mas os aposentados vão dar o troco serã mais de cinco milhões de votos a menos,
vai ter muita diferença nesta eleição.

FLAVIO disse...

O GOVERNO SÓ OLHA PARA O PRÓPRIO UMBIGO. QUER FAZER MEDIA COM A CLASSE MASSACRADA DURANTE ANOS E ELEGER A DILMA. O PAULO PEREIRA E O INOCENTINI NÃO TÊM O MENOR INTERESSE EM COLABORAR COM OS PLEITOS DOS APOSENTADOS. NOS RESTA ENTÃO, A FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DOS APOSENTADOS. MANOBRAS SÃO ARQUITETADAS E O APOSENTADO CADA VEZ MAIS DESESPERADO.

Anônimo disse...

Iato é uma brincadeira, existe dinheiro para tudo menos para os aposentados. Revelo que na proxima encarnação vou pedir a Deus para não me mandar de volta nem Pobre,Negro, Aposentado e Brasileiro

Tenho dito

Anônimo disse...

Sr Waldir esta completamente com razão ,este governo esta traindo ,como outros passados .os coitados dos trabalhadores Brasileiros,tentando manobras com alguns trambiqueiros de plantão ,como esse sem vergonha De deputado pepe vargas,não merece nem a escrita maiúscula em seu nome quanto mais um voto,estão novamente querendo passar para trás essas conquistas vitoriosa de alguns parlamentares ,Esta é a pura vardade.

luis antonio disse...

eu contribui por alguns anos com valor ref.a 20 salarios,depois fiquei contribuindo com apenas 10,
por determinação do gov.e,assim foi
até me aposentar proporcional,pois
perdi o emprego,e sem pespectiva de
outro fiu obrigado pelo avancado da idade a concordar com os valores
concedidos a época era pouco mais de seis salarios,hoje recebo pouco mais de quatro salarios,para mim is
to é um verdadeiro absurdo,mas o lula nunca foi trabalhador,acho que foi mendigo,e depois empresario
grande empresario.resta-nos esperar a boa vontade dos deputados
que mandamos para nos representar no congresso nacional.

samuel disse...

quero apaudir a decisão dos lideres sindicais visando a continuação dos projetos em transito na casa legislativa dizendo que nada que o governo propõe contempla os anos perdidos sobre efeito da injustiça e da deslealdade com que tratam os idosos que construiram o brasil que eles governam - samuel

Val-André Mutran disse...

Compartilho plenamente com sua opinião Samuel.

Paulo Rocha/RS disse...

Os 3 Projetos do Senador Paim, aprovados por unanimidade pelo Senado Federal não podem, de forma alguma, serem trocados por migalhas. Esses Projetos buscam resgatar a dignidade de milhões de brasileiros, incluindo trabalhadores da ativa e aposentados, há muito massacrados por governos (FHC e LULA) insensíveis e cruéis.
Estão fazendo uma grande ladainha. Bastava cumprir a nossa soberana Constituição Federal de 1988, que em seu art.194, Inciso 4, diz que: "os critérios de cálculos dos benefícios devem preservar o valor real dos salários sobre os quais incidiram as contribuições à Previdência." Paulo Rocha-RS.

Anônimo disse...

Não tem que abrir mão de nenhum projeto a favor aposentados.
Essa troca que o governo quer é injusta. Depois de tanta luta.
Acho melhor os deputados votarem de uma vêz aprovando tudo e resolvendo isso.
Esse governo é espertinho d+.
Coitado de nós aposentados.

João Guilherme disse...

O governo voltou a adiar a reunião marcada para com os representantes dos aposentados e pensionista que recebem acima de um salário. O que está se vendo é o total desrespeito com um seguimento da sociedade, que trabalhou, contribuiu para o INSS dentro da lei e, agora essa mesma classe é desrespeitada, pelo o principal mandatário da Nação.
Dessa vez, não tem outra solução para o presidente Lula, ou ele aprova ou rejeita os projetos que estão para serem votados. Por que ele não quer tomar essa decisão? Será por causa dos 8,2 milhões de aposentados, que contando com esposa, filhos, noras, genros e até netos que já votam pode chegar esse 8,2 milhões a mais de 30 milhões?
Vamos aguardar ano que vem!!! Ser humilhados mais um ano e meio, não é nada para quem já vem sendo a mais de dez anos.

Val-André Mutran disse...

Anônimo das 12:17
Não tem que abrir mão de nada.
É hora de "dar ou descer", como ensina o bispo (bobinho) Edir Macedo.

jose nogueira da cunha disse...

Coitado daqueles que ficaram velhos sem terem angariado um pé de meia para garantir o sossego econômico da velhice!...;Esperar ou ter em mente que algum político resolva a situação em apreço aos aposentados, pode sair da chuva que vai molhar...bmen

Ultramar Luiz de Sousa disse...

Ultramar
Senhores deputados. O senado já aprovou os quatro projetos por unanimidade, será que os deputados não podem fazer o mesmo? Fim do Fator Previdenciário e reajuste das aposentadorias igual para todos é o mínimo que o povo necessita.E o veto do Executivo os deputados e só derrubar,e o relator deputado Pepe Vargas e só retirar a proposta 95 e 85.ultramar.l.s@terra.com.br

Anônimo disse...

vamos criar o paque dos aposentados
pois dinheiro tem O LULA E MERCADATE sempre disseram que o
empecilio era FERNANDO HENRIQUE
e os partidos que comandavam.


um abraço a todos que usão este
espasso.
Maurilio

Zelia Iara disse...

Pepe Vargas está na midia e esperamos que TODOS EXPONHAM suas opiniões sobre a questão Fator Previdenciário. No mínimo. Deve ser 60% das´maiores contribuições mas o justo é o Projeto Paim. Precisamos da opinião de todos da Câmara e jamais esqueceremos, pois a questão é de relevância pública, defende a dignidade humana, tudo que o COngresso sepultou há muito. Que mudem todos seus membros, exceção para Paim.

Anônimo disse...

Nada de negociação. A falta de vergonha tomou conta do COngresso e Lula segue neste caminho.
Decepção total.

Anônimo disse...

EDSON FRANÇA ; LULA. está decepicionando e traindo os aposentados na companha ele falou que ieia cuidar das aposentadorias dos velhinhos agora não está nem aí. não devemos abrir mão de nenhum item que nos beneficia está na hora de nos tomarmos uma decisão todos aposentados para brasilia no palácio do planalto e ficarmos de virgilia por praso indeterminado.

Anônimo disse...

EDSON FRANÇA ; LULA. está decepicionando e traindo os aposentados na companha ele falou que ieia cuidar das aposentadorias dos velhinhos agora não está nem aí. não devemos abrir mão de nenhum item que nos beneficia está na hora de nos tomarmos uma decisão todos aposentados para brasilia no palácio do planalto e ficarmos de virgilia por praso indeterminado.

Anônimo disse...

O MALDITO Fator Previdenciário foi criado no Governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB) pela Lei 9.976/99 com a única razão de PUNIR os aposentados que trabalharam anos afincos, e serem condenados a receber um salário de fome.
A lei não deveria ser igual para todos, então porque um parlamentar pode ter 2 ou mais aposentadorias? Estamos concluindo que aposentado no Brasil é considerado lixo por nossos governantes. É triste concluir que Vossas Excelências Senadores e Deputados, só legislam para aumentar seus privilégios e imunidades, agindo como uma associação fechada de privilegiados que se reúnem para defender seus negócios pessoais e dos amigos de conchavos. Vossas Excelências estão nos faltando com o respeito, jogando nosso voto no lixo, classificando seus eleitores como um bando de tolos e idiotas. Vossas Excelências acreditam que grande parte da população Brasileira inclusive os aposentados, não tem cultura, não estão atentos a nada e não percebem nada. Mas podem ter certeza que estamos cada vez mais atentos as práticas astuciosas dos Senhores. Afinal aposentado também vota, e esta mais que na hora da Câmara se ocupar com projetos a favor do povo e não presos em CPIs que nunca resulta em nada, somente onera os cofres públicos.

luis antonio disse...

minha sujestão: é que faça-se um rodisio nesta vigilia ,para não ficar cansativo,e todos participar sem cousar tumulto,só pra marcar presença.