CNBB desmente Lula

Outra declaração da coleção de absurdos de Lula foi veemente desmentida pela Confederação dos Bispos do Brasil – instância máxima da Igreja Católica no Brasil. Leiam.

''Jesus não fez aliança com fariseus e saduceus'', diz CNBB

Lígia Formenti, para o Estado de S. Paulo

D. Dimas critica Lula, para quem Cristo teria de se aliar a Judas para governar
Ao ser indagado ontem sobre as declarações feitas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirmando que se Jesus Cristo vivesse nos dias de hoje teria de fazer coalizão até com Judas para poder governar, o secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), d. Dimas Lara Barbosa, fez a seguinte observação: "Judas era um discípulo de Jesus. Mas Jesus não fez aliança com fariseus e saduceus."

Logo em seguida ele explicou que fariseus são "pessoas que parecem uma coisa por fora, mas por dentro são outra". Nos textos do Evangelho eles aparecem como adversários de Jesus, que os critica sobretudo por sua hipocrisia e avareza.

Questionado se estava se referindo indiretamente a partidos da base governista, especialmente ao PMDB, o bispo respondeu: "Quando falei em fariseus não estava me referindo a partidos políticos", explicou. Mas Deus conhece o coração das pessoas."

OPORTUNISTAS
Os fariseus e saduceus formavam dois grupos com grande força política e religiosa em Israel na época em que Cristo viveu. Os saduceus, segundo o Dicionário de Termos Religiosos e Afins, da Editora Santuário, constituíam um partido com "ideologia conservadora e oportunista, de sorte que se acomodavam ao poder dominante, neste caso a Roma". De acordo com a mesma fonte, os dois grupos contribuíram de forma decisiva para a condenação de Cristo à morte.

D. Dimas fez os comentários ao término de uma cerimônia na qual foi anunciado o lançamento de uma campanha que pretende estimular as pessoas a realizar o teste de HIV e de sífilis. A campanha é uma parceria entre a CNBB e o governo federal, por meio do Ministério da Saúde.

Logo após falar sobre as declarações de Lula, o representante da CNBB lembrou que está em discussão no Congresso o projeto de lei conhecido como ficha limpa, que tem como objetivo proibir candidaturas de pessoas com pendências na área do Judiciário.

"Quero aproveitar a ocasião para lembrar que a Igreja continua com a sua luta a favor do projeto de fichas limpas na política", disse o secretário-geral da CNBB. "A coisa pública exige o mínimo de ética de quem a pratica." Em suas declarações, d. Dimas lembrou ainda que a Igreja está preocupada com os pobres do País, que muitas vezes permanecem à margem da sociedade e dos processos políticos. (COLABOROU ROLDÃO ARRUDA)

16 comentários:

FALA SÉRIA disse...

Eu sou cristão, e REPROVO VEEMENTEMENTE ESSA HERESIA que o Ditador LULA falou do Nosso Senhor e Salvador Jesus cristo.

O povo não concorda com lula ditador amigo do ZÉ_LAIA no poder. Fora fidel castro

alfredopam disse...

Muita boa a matéria. Tem gente precisando aprender o ditado popular: "cada macaco no seu galho".

Anônimo disse...

Qualquer semelhança "não é mera coinscidência", principalmente para os Estudiosos da Obra do Professor Leon Hipolite Denizard Rivail.

LedaSantos disse...

Esse projeto 'ficha limpa', a meu ver, fere princípios fundamentais da Carta Republicana, que em seu art. 5º, LVII, assegura que ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória; e fazer com que um cidadão que responde a um litígio, perca o direito a se candidatar, é sim afronta a esse princípio, dentre outros.
Sobre a matéria, depois que a li, percebi que seu título (a chamada) não condiz (não retrata) com os fatos, mas enfim, a mídia não cansa de fazer isso.
A CNBB na verdade corrigiu Lula, em termos bíblicos, que é mais da sua alçada do que da dele. No contexto, Lula deveria ter mesmo se referido aos fariseus e saduceus e não a Judas, mas no fim das contas, a gente entenderia o que ele quis dizer de qualquer forma. Mas acho improvável que Cristo fizesse aliança com a oposição, Ele era muito inflexível nas suas convicções, tendo inclusive, morrido por elas (na realidade por todos nós), mas esse é outro assunto. Thanks

Anônimo disse...

Não fere principio coisa nenhuma! Se a justiça funcionasse rapido neste pais 99% dos politicos que ocupam seus cargos não seriam eleitos. Quando o cidadão se candidatou ate com o apoio da igreja, demonstrava ser um otimo candidato e cumpridor de suas promessas, era a esperança do povo e das esquerdas. Olhem só a decepção! E como podemos acreditar, se para o TCU ele é quem indica, para o Supremo ele é quem indica, então isso não é uma afronta aos principios?

blog do augusto lopes disse...

Espera aí minha gente, esse é um caso atípico que não dá nem pra ficar se discutindo. O que está acontecendo, está na cara. O LULA pirou de vez. Aliás as declarações polêmicas dele já está passando das contas. Agora ele vez com essa de colocar Jesus nas suas gracinhas. Se manca PRESIDENTE. AUGUSTO LOPES, E TENHO DITO.

Anônimo disse...

Infelizmente a nossa politica está,povoada de fariseus e saduceus.E neste embalo o nosso presidente vai governando.
Parabéns D.Dimas pela sua resposta,que é de todos nós que sonhamos com um mundo mais justo.

salmon de paiva@ig.com.br disse...

A ignorância faz a pessoa dizer bobagens. Quem nunca leu um livro e não frequentou a escola, está propenso a falar baboseiras. É o caso de LULA que não conhece nada de cultura, de religião ou de qualquer outra coisa que não venha em seu benefício próprio, pois ele não pensa em mais nada do que ele.

Viníciuscorga disse...

O título da reportagem foi no mínimo exagerado. Apenas o Bispo esclareceu um fato que ele sabe mais a respeito do que o nosso presidente.

Anônimo disse...

Lula é um mentiroso compulsivo e as intenções são sempre malignas. Uma das coisas que não entendo como podem os parlamentares se ajoelharem para esse semi-alfabetizado. Esses 513 deputados devem ter um belo "rabo preso". Lula é vingativo e não aceita que suas "ordens"(?)sejam contrariadas. Lula, Dilma e Zé Dirceu se asssemelham aos mafiosos Sicilianos- só sabem matar.

Anônimo disse...

Por não fazer acordos é que Cristo foi parar na Cruz, mesmo com proposta do Cesar da época para poder salvá-lo, foi categorico: no Bem a Verdade é absoluta. Enfim, não existe direito absoluto, se a turma de políticos e seus maravilhosos acessores gastam dinheiro ao bel-prazer enquanto pessoas morrem em macas nos hospitais, sem atendimento; não há o que se discutir em direitos de políticos. Lembrem-se que o STF não condena ninguém, é só olhar os números... A corte é do mesmo nível de confiança dos políticos, e isto só vai piorar. Vê se acordam, Brasília é uma daquelas cidades que para concertar só com enxofre descendo do céu e mandando todos mais cedo para seus buracos reservados no Inferno. Palavras duras de um Brasileiro cansado...

A Procurar disse...

Então com estes maravilhosos Ministros do STF que não condenam político algum, falar em direito a inocência é rídiculo, eles vão ser inocentados mesmo, são os lindos números do STF. NINGUÉM (políticos é claro, pois o povo sofre por qualque tribunal do país) é condenado lá. Direito absoluto não existe, enquanto houver um só Brasileiro morrendo na fila de hospital, em cima de uma maca e sem atendimento; falar de presunção de inocência para os políticos e seus assessores é hilário...

Welington J Ferreira disse...

Posso dar uma luz interessante ao assunto. Alguns dos comentários são bem "veementes", mas é uma excelente oportunidade de aprender com algumas das situações que envolvem a colocação de Lula. Judas na verdade, já fazia parte da equipe de governo, por assim dizer, foi chamado para o "ministério", logo no inicio da jornada do Cristo. Então... em primeira hipótese, o "Judas" que foi um dia aliado de Cristo(que confirma tal tese, dizendo "quem não é contra nós é por nós) ou que sem ir muito longe, é NOMEADO para um CARGO de ALTA RESPONSABILIDADE (nunca houve e nem haverá na terra missão mais solene que aquela para qual os DOZE
foram levantados). No desenvolvimento ministerial é que a coisa toma um rumo constrangedor. Judas, responsável pelas FINANÇAS do reino invisível (afinal, Jesus REPRESENTA um reino) começa a desviar os RECURSOS necessários para o sustento MINISTERIAL para motivos escusos. O final é um beijo de traição, e trinta moedas de prata tilintando aos pés dos FARISEUS que usaram a cobiça do homem que falhou para tentar ACABAR de vez com aquela praga da VERDADE anunciada por aquele que representava a maior ameaça aos status quo político e religioso NORMAL, que uma ameaça poderia representar. Porque Jesus representa a mudança do modo de pensar da humanidade. O Judas da mídia, da religião é sempre o retrato final da vida de um homem derrotado pela ganância. A comparação de Lula é dolorosa porque Jesus representa a verdade absoluta, e Judas nos lembra sempre a traição. Mas não é sobre a luz se associar com as trevas que Lula estava invocando seu pensamento.
Jesus não necessita de alianças, porque não necessita da anuência humana para GOVERNAR. E certamente toda a terra saberá disso, mas cedo ou mais tarde. O máximo que um político pode ser, esteja ele na posição que estiver, é ser julgado digno de ser MINISTRO de Cristo, de realizar algo que possa representar um pouco de suas realizações. Mas, abaixo dele, o que inclui dos anjos até as larvas, a sociedade humana necessita de consenso, necessita de mutualidade. Não há governabilidade sem apoio dos que compartilham o poder de decisão. Não há projeto sem recursos, não há recursos sem apoio legislativo, judiciário, politico-partidário. Lula ou Dilma, Serra ou Ciro, Welington (eu que escrevo, caso me candidate a presidência) e Marina, não teremos dentro de um estado democrático e de direito, poderes de realização necessários sem um grupo que assim o conceda. Lula não irá caminhar sobre as águas. Dilma não repreenderá o mar dizendo: Cala-te! Eles não possuem tal autoridade. A autoridade que um político possui é limitada pelas leis que disciplinam seus poderes. E as leis dizem que TODOS devem compartilhar de uma única direção, para fazer esse barco chamado Brasil singrar os mares dos recursos limitados. Porque diferentemente de Jesus, de quem depende os homens, nós dependemos uns dos outros para realização do bem.

Welington José Ferreira

Welington J Ferreira disse...

Então, senhores, parem de CRUCIFICAR o presidente e releiam as entrelinhas da história. Mesmo porque também, ele, não poderia ressuscitar, para assumir o que é seu de Direito desde o inicio dos tempos, como Jesus o fez. Uma vez morta a identidade de um governo, seus projetos, sua meta, as conquistas forjadas por décadas de mudanças, o que se enterrará num sepulcro de pedra são os sonhos de uma geração. Juntamente com os filhos desta geração.
E além disso...E se JUDAS deixasse de roubar a bolsa do ministério? E se lá pelas tantas, quando recebeu a comissão, quando orava lá pelos enfermos e esse eram curados (SIM! Diz as Escrituras que ele estava junto com o grupo que recebeu a AUTORIDADE e a EXERCEU de modo CORRETO) esse homem um dia chamado para o MINISTÉRIO caísse em si e resolvesse fazer a sua parte?
E se independentemente da origem política, os homens que forem chamados para participar do novo governo se mostrarem IDONEOS?
E se os homens que serão INDICADOS pelos partidos, REALIZAREM O QUE TEM QUE REALIZAR, com consciência, com competência, com lealdade, apesar de seus limites humanos, de suas aspirações, e de tudo o mais? E se estes desejarem acertar, trabalhar, cuidando com RESPONSABILIDADE de suas atribuições, nos Ministérios, Diretorias, Gerencias, Coordenadorias, Secretarias?
Esse é o contexto, senhores. Esse é o contexto.

Welington José Ferreira

Antonio Carlos disse...

Lula está errado pois, os farizeus contribuiam para igreja e jogavam algumas moedas no cofre e estas faziam um tremendo barulho e assim eram apaludidos e reverenciados.
Na verdade eles fingiam contruir muito mas enganavam os fieis com aparente contribuição.
A diferença entre farizeus,partidos políticos e aliados é ZERO.
Assim, tanto judas (aliado) e farizeus,(enganadores)eram todos farinha do mesmo saco, dessa forma agradavam a quem os interessavam.
Antes e hoje é a mesma coisa.Quando Cristo veio ao Mundo, convencia os seus adeptos pregando e fazendo milagres, se viesse hoje, e milagre hoje é mais dificil de convencer alguém, teria que usar de outros métodos e certamente os atuais, como fazem aliados e oposição.
Antonio Carlos - BH

Anônimo disse...

Por não pactuar com mentiras e ganância é que Cristo foi para na Cruz. Teve a chance com o Cesar de não ser crucificado e não se afastou da verdade em momento algum. Eliminou as bolsas que os apostolos carregavam e repreendeu-lhes por pegarem moedas pelo que faziam de bem. Resumindo, não adianta chamar padre ou pastor para fazer um belo discurso no caixão de qualquer político. Seja quem for o político, deveria antes de abrir a boca para falar de Cristo, lembrar dos desvios de verbas, da possibilidade de não aceitar o injusto, de devolver 4 vezes o que roubou (como Zaqueu), devolver as passagens para New York que o povo pagou (incluindo ministros do STF). Não envolver o que verdadeiramente Santo com a falsidade de quem só pensa em levar vantagem. É o mínimo que exige-se de um cristão: Saber que é um miserável pecador, que contará com a graça Divina para tentar salvar-se. Votei no Lula, mas não votarei mais no PT. Velhos discursos de demos umas migalhas para os mais pobres é insignificante diante do fato: Ser bom e honesto é uma obrigação de todos. Mais um Brasileiro que cansou de todos os políticos, me dá irritação ao ver qualquer um na TV enchendo o saco com a cara mais safada e mentirosa. Chega de hipocrisia...