O que disseram os lados da disputa sobre a instalação ou não da CPMI do MST

Matemática não é o bastante

Danielle Santos para o Correio Braziliense

Questão agrária

Ruralistas reúnem número folgado de assinaturas para criar a CPI do MST, mas não descartam nova manobra governista

Ivan Valente (PSol-SP) articula para “esvaziar” a ofensiva da oposição

O Congresso presenciou ontem mais um capítulo no embate em torno da criação da chamada CPI do MST, cujo objetivo é investigar os repasses de recursos do governo e de organismos internacionais aos sem terra. Até o fim da noite de ontem, a bancada ruralista havia conseguido o número suficiente de assinaturas para criar a comissão —185 na Câmara, 14 a mais que o necessário, e 35 no Senado, oito além do mínimo. Mas se o placar era claramente desfavorável aos governistas, a vitória era incerta.

O temor da oposição é que se repita a manobra ocorrida durante a primeira tentativa de emplacar a investigação, no fim do mês passado. Na ocasião, 45 parlamentares retiraram seu nome do pedido na última hora. Um a um, eles teriam sido convencidos pela base aliada do governo a mudar de ideia. Para evitar uma nova debandada, os oposicionistas adotaram uma estratégia ousada: constrangir os eventuais “vira-casacas”, divulgando seus nomes na internet. “Nossa investida provou que os deputados estão preocupados com o ano pré-eleitoral e não querem desagradar a suas bases com uma atitude dessas”, adiantou Ronaldo Caiado (DEM-GO).

A denúncia de que o governo negociou com os parlamentares para a desistência da CPI constrangeu o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, que esteve na Comissão de Agricultura da Câmara e preferiu não se meter na polêmica. “Não quero opinar sobre isso porque é um problema do Congresso e não compete a mim comentar”, justificou.

Batata quente

Depois de defender os sem terra na tribuna pelos atos praticados durante a última ocupação, ocorrida há quase um mês, no interior de São Paulo, com prejuízos de R$ 1 milhão para os proprietários, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) preferiu se abster da leitura do requerimento em plenário e passou a responsabilidade ao 1º vice-presidente do Congresso, deputado Marco Maia (PT-RS).

Engajado em minar a lista de adesões, o deputado Ivan Valente (PSOL-SP) acredita que a base aliada do governo será novamente bem-sucedida. “Na pior das hipóteses, podemos fazer um trabalho de conscientização para que os parlamentares esvaziem a CPI mesmo depois de criada. Trata-se de um factoide inventado pelos ruralistas com único objetivo de criminalizar os movimentos sociais e impedir a reforma agrária”, acusou.

“Temos que avançar com esse tema porque o agronegócio merece respeito e é responsável pela balança comercial da nossa economia. Precisamos investigar aqueles que são ilegais e que tomam dinheiro público para praticar o crime e trazer insegurança ao país”, rebateu Onyx Lorenzoni (DEM-RS).

Precisamos investigar aqueles que tomam dinheiro público para praticar o crime e trazer insegurança ao país”

Onyx Lorenzoni, deputado do DEM

4 comentários:

Anônimo disse...

Só o PT e PSOL não sabem o que é MST - grupo pararamilitar e extensão do PT. Isso meus professores na faculdade já diziam - MST é extensão do PT, não esqueçam. Não estão interessados em terra, mas em dinheiro. Quem já viu, pelo menos de longe, os assentamentos percebe que é jogo de cena. Os que vão a Brasília mais parecem turistas do que qualquer outra coisa. Vamos acabar com esses baderneiros e usar esse dinheiro na saúde.

Anônimo disse...

A FARSA CAÍU; ONGS, MOVIMENTOS, SINDICATOS; CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS, ASSOCIAÇÕES DE MORADORES; DEVEM SER FISCALIZADOS, O PRIMEIRO FISCAL É O CIDADÃO COMUM DO POVO, DENUNCIE QUALQUER IRREGULARIDADE, POR MAIS SIMPLES QUE APARENTE SER. CIDADANIA!!

jobaque disse...

O MST é um Movimento disfarçado de Social. O que ele pratica são açoes contra a Democracia, a Liberdade e o Estado de Direito. Tanto é verdade que quer atuar na ilegalidade, para praticar crimes e ficar impune. Sua ideologia e seusw atos estão ancoradas no comunismo. Seus ídolos são comunistsas remanescentes. O MST é um movimento ligado à esquerda radical. È preciso desmascarar a origem dos recursos que sustentam uma organização crimonosa e antidemocrática como o MST.

Anônimo disse...

M.S.T quer dizer na linguagem popular:
Malandos
saqueadores de
Terras........