Governistas analisam projetos dos aposentados na segunda-feira

Ministros e líderes da base vão avaliar propostas como a que acaba com o fator previdenciário e a que reajusta os benefícios pelo mesmo índice do salário mínimo.

Governo e líderes da base aliada na Câmara reúnem-se nesta segunda-feira (9) para tentar resolver o impasse em torno das reivindicações dos aposentados. Os beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) pressionam os parlamentares a aprovar diversos projetos de lei, entre eles o PL 1/07, que contém uma emenda estendendo a todas as aposentadorias o mesmo índice de reajuste do salário mínimo.

Os governistas alegam que a Previdência não pode arcar com o impacto, de pelo menos R$ 6 bilhões. O governo já havia oferecido às mais de 8 milhões de aposentadorias maiores que o salário mínimo a correção da inflação mais a metade da taxa de crescimento da economia do ano anterior. Também propôs regras mais flexíveis para o fator previdenciário. No entanto, representantes de aposentados não aceitam as propostas.

Ganho real
Para contornar o desgaste político, o presidente Lula vai discutir o assunto com o ministro da Previdência, José Pimentel; o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha; o secretário-geral da Presidência, Luiz Dulci; o líder do governo na Câmara, Henrique Fontana (PT-RS); o líder do PT, Cândido Vaccarezza (SP); o presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP); e o deputado Pepe Vargas (PT-RS), relator do projeto (PL 3299/08) que acaba com o fator previdenciário.

Pepe Vargas espera que, na reunião, o governo decida assumir uma postura clara de defesa da proposta que já fez aos aposentados. "O aposentado que ganha acima do mínimo nunca recebeu reajuste maior que a inflação. Agora, pela primeira vez, nós teremos uma política dando ganho real, em 2010 e 2011", disse o relator. "A minha expectativa é que o governo definitivamente assuma essa proposta de acordo e mobilize-se para votar essa matéria, que é um avanço significativo para a legislação previdenciária", avalia.

Reajuste zero

O diretor-financeiro da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas, Nelson Osório, explica que os beneficiários do INSS não aceitam a proposta do governo porque a sugestão é de metade do PIB do ano anterior. "E o crescimento desse ano vai ser zero, ou próximo de zero. Quer dizer, no ano que vem não haverá nada para a gente", resumiu.
Osório lamenta que a Câmara não tenha votado o reajuste da categoria antes de os projetos do pré-sal chegarem ao Plenário.

Outras propostas

Além da emenda que dá às aposentadorias o mesmo reajuste do salário mínimo, os aposentados querem que o Congresso derrube o veto ao reajuste de 16% concedido às aposentadorias em 2006. Também querem a votação do projeto que acaba com o fator previdenciário, em análise na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), e do PL 4434/08, que recupera o número de salários mínimos a que o aposentado tinha direito no momento da concessão do benefício.

Segundo o deputado Pepe Vargas, a aprovação de todas essas propostas resultaria em um impacto imediato de R$ 150 bilhões nos cofres da Previdência.

AG. Câmara.

Um comentário:

nenem15 disse...

Vários motivos para não votar no PT e nem no PMDB

Esta semana, precisamente no dia 04/11/2009, estava marcada a votação de um dos quatro projetos do senador Paulo Paim do (PT) que devolvia o dinheiro surrupiado aos aposentados. Esses quatro projetos foram aprovados por unanimidade no senado federal , e nesse dia estava em pauta para votação um deles. Porém o Governo Lula, através de seus cupinchas e algumas centrais traidoras, como CUT, CENTRAL SINDICAl e OUTRAS e de deputados que já foram ou ainda são presidentes dessas centrais, e ao mesmo tempo do PT, como Henrique Fontana, Pepe Vargas, Paulinho da central, Vicentinho e outros fizeram uma manobra maquiavélica não permitindo a votação. Na tentativa de explicar o motivo de não poder votar, um pau mandado do REI, veio com desculpas que não seria possível, pois teria que trancar a pauta por causa de um outro projeto. Outros deputados da base do governo, também tentaram explicar o motivo, porém, não convenceram, e após expedir algumas palavras, um deputado da base do governo obteve o maior vexame que talvez tenha acontecido em sua vida, pois mais de 1200 aposentados viraram de costas para este, enquanto pronunciava besteiras. Meus amigos esses projetos se referem a todas as pessoas que um dia se aposentarão e aos que já estão aposentados, mas o governo Lula que prometeu acabar com o fator previdenciário criado pelo maldito FHC, não fez o prometido e não quer que esse fator acabe. Saibam que quando se aposentarem aos trinta e cinco anos de contribuição se for homem, e aos trinta se mulher, vocês não receberão pelo que contribuiu, e sim pelo que for calculado pelo maldito fator, que certamente reduzirá no instante da aposentadoria cerca de 40% do valor a que tiver direito. Por esses e outros motivos peço encarecidamente que se realmente querem algum dia se aposentar com dignidade, tirem em 2010 através do voto esses traidores do PT e do PMDB, não votando nesses partidos, porque só assim saberão que não precisamos guardar nomes, pois são muitos, mais o nome PT e PMDB é fácil guardar. Porém se tiverem candidatos que confiem, pelo menos não reelejam esses abaixo:

Henrique Fontana (PT) RS
Paulinho da central (PT) SP
Pepe Vargas (PT) RS (Caxias do sul)
Vicentinho SP
Cândido Vaccarezza (SP
João Carlos Bacelar
Mas não se esqueçam, para não eleger traidores não votem nos partidos acima.

OBS: Peço a todos que não deixem este email parar, é necessário que ele corra o Brasil, passe para pelo menos 10 amigos, pois muitos não sabem o que está acontecendo em Brasília.
OBS: Se quiserem saber mais visite o site :aposentados solte o verbo, e saberão melhor sobre o assunto.
Quanto ao Pepe Vargas: O que ele entende de economia?