Wandenkolk rebela-se e obstrui sessão do Congresso Nacional

O deputado federal Wandenkolk Gonçalves (PSDB-PA) em protesto ao adiamento do Projeto de Decreto Legislativo que autoriza a realização do plebiscito do Estado do Carajás, na condição de líder do PSDB na sessão do Congresso Nacional, quando Câmara e Senado deliberam conjuntamente matérias de interesse nacional, como os vetos presidenciais e as autorizações de créditos suplementares essenciais ao funcionamento da máquina pública, obstruiu a sessão utilizando-se do artifício regimental de pedido de verificação.

Como não havia quorum privilegiado para o prosseguimento da sessão, a mesma iria "cair".

O SR. PRESIDENTE (Marco Maia) - Está reaberta a sessão.
Peço a atenção dos Srs. Líderes. Como não há acordo para a votação de
nenhuma matéria nesta sessão de hoje, havendo o acordo de todos os Srs. Líderes,
vamos suspender a sessão e reabri-la amanhã, às 11h30min. Vamos também
cancelar a sessão que estava marcada para as 10 horas de amanhã, quinta-feira.
O SR. ARNALDO FARIA DE SÁ (PTB-SP. Pela ordem. Sem revisão do
orador) - Sr. Presidente, eu só quero fazer uma colocação importante.
CÂMARA DOS DEPUTADOS - DETAQ SEM SUPERVISÃO
Número Sessão: 038.3.53.N Tipo: Extraordinária - CN
Data: 16/12/2009 Montagem:
46
Eu queria agradecer ao Deputado Wandenkolk Gonçalves. S.Exa. tinha a
postura de derrubar o quorum em razão da decisão da Mesa da Câmara de não
votar o projeto de urgência de Carajás. E eu solicitei a compreensão do Deputado,
que acabou admitindo a possibilidade de permitir que buscássemos um acordo.
Eu queria deixar registrado que existe o compromisso de todos nós de
votarmos a urgência de Carajás. E agradeço ao Deputado Wandenkolk Gonçalves
essa posição.
O SR. LIRA MAIA (DEM-PA. Pela ordem. Sem revisão do orador) - Carajás e
Tapajós.
O SR. PRESIDENTE (Marco Maia) - Parabéns ao Deputado Wandenkolk
Gonçalves pelo equilíbrio. É um Deputado que merece todo o nosso respeito, pelas
posições sempre equilibradas nesta Casa.

Mas o que o parlamentar tem que fazer vai muito além desse gesto, pois, foi seus colegas de partido do "São Paulo Maravilha" que forçaram o adiamento da votação do pedido de urgência de votação dos projetos de decreto legislativo que autorizam a realização de plebiscito para a criação dos Estados do Tapajós e do Carajás.

Um comentário:

Anônimo disse...

Mas se não jogar duro não inclui na pauta de votação.
Lembram quando o então senador Helio Gueiros osbtruiu a pauta do Senado Federal por não terem colocado em pauta materia de interesse do Estado do Pará.
Quanto ao PSDB de São Paulo o problema deles é outro, eles que prestigiem os colegas de Partido, senão o Serra vira "pó de serra" na eleição presidencial que vem aí.