Governo recua e não vai mexer nas contas-poupança dos pequenos

Quem disse que Deus não existe?

Bem, pelo menos em ano eleitoral, acreditar em sua existência passa a ser algo crível, mesmo sem provas contundentes, digo, materiais de sua existência.

O governo, compadecido com os pequenos poupadores, decidiu recuar da decisão de mexer nas taxas que regulam a Cadernete de Poupança.

“Quando a bondade é grande, o Santo desconfia”.

Santos existem?

11 comentários:

Anônimo disse...

Eu estava lendo no blog a respeito do orçamento da União para 2010. Sou totalmente leigo na matéria. Portando o que vou perguntar talvez seja uma bobagem sem tamanho, mas vamos lá. Porque o orçamento da Previdencia tem de vir junto com o restante da União? Prá mim, na minha total ignorância, eu achava que a Previdência Social devia ser totalmente desvinculada, seus recursos não deviam ser misturados ao restante da União. Ela devia ser administrada em separado como se fosse uma empresa privada. Com a diferença que, os seus dirigentes teriam de prestar contas anualmente ao TCU, com punição severa em caso de improbidade. Todos os cidadãos teriam acesso fácil aos balanços. Por outro lado governante nenhum poderia colocar a mão em um centavo sequer. Seria bom prá todos, pois se por acaso constatassem déficit, o que eu duvido muito, não precisariam fazer todo o estardalhaço que fazem. Era só tentar corrigir sem sacrificar a todos como eles têm feito nos últimos anos. Aí eu queria ver um cretino como o Luís Inácio vomitar aos quatro cantos que o aumento dos aposentados e pensionistas, ou o fim do maldito Fator Previdenciário quebraria a Previdência. Acabaria de vez com a orgia que é feita com o dinheiro suado do trabalhador e trabadora do Brasil. Enquanto a Previdência Social for tratada como a casa da sogra, os verdadeiros beneficiários ficarão a ver navios.
Quanto ao recuo do governo com relação às contas-poupança, eles acordaram a tempo. Para àqueles que não acreditam em Deus fica um recado. O Homem que tudo vê e tudo pode, de vez enquando costuma intervir sutilmente, sem que os carrascos notem, faz com que eles por breve momento readiquiram alucidez, o juizo e desistam de mais uma estupidez, coisa corriqueira neste desgoverno. Uma certeza eu tenho. Eles não deixarão saudades quando forem fragorosamente derrotados, quiça agora em outubro de 2010.

Val-André Mutran disse...

Anônimo, você mesmo respondeu a questão.
O Governo utiliza recursos da Previdência para outra destinação.

Anônimo disse...

Anônimo das 8:35. Abaixo fiz um pequeno resumo. Desde FHC o dinheiro da previdência é usado e abusado para fins diversos. Agora entraram mais despesas para ex-vereadores de cidades com número de até 300 mil habitantes (anistiados) para serem pagos. Governo bonzinho esse? Além de rasgar R$ 2 milhões em uma reforma - casa para veranear 6 dias - ainda pratica genocídio de aposentados com apoio de Serra.
São transferidos(ônus) para os aposentados os incentivos fiscais concedidos para as empresas de TI, optantes do Simples/Filantrópicas.
Com a aprovação do Orçamento da União de 2010 o RGPS recebeu mais um desfalque de R$ 19 bilhões, que vão se somar aos R$ 125 bilhões ocorridos entre 1998 e 2009, totalizando R$ 144 bilhões. Esses valores são as chamadas "Renúncias Previdenciárias" previstas na Lei das Diretrizes Orçamentárias (LDO).(http://www.camara.gov.br/internet/comissao/index/mista/orca/ldo/LDO2010/redação_final/011%20Red_Final%20AnexoIV.6%20Renúncias%20Previdenciárias.pdf)
A renúncia previdenciária é um incentivo fiscal concedido às empresas de TI e optantes pelo "Simples Nacional" e Filantrópicas. Nada contra incentivos fiscais mas isso não deveria ser feito com verbas previdenciárias. Esse procedimento afronta o artigo 201 da CF/88 que determina que a Previdência Social deve ser organizada observando o "equilíbrio financeiro e atuarial" do sistema. Renúncia Previdenciária não combina com Equilíbrio Financeiro e Atuarial. Os parlamentares demonstram que aprovaram o orçamento sem ler ou, então, não entendem nada de previdência, ou, quem sabe, não estão dando a mínima atenção para os aposentados. Esse rombo de R$ 144 bi é um dos fatores que mais pesam no alegado e falso rombo da previdência, divulgado pelo governo. Ao aprovar essas renúncias, governo e parlamentares estão passando ao aposentado urbano, que ganha mais de um salário mínimo, parte do custo da política assistencial, que deveria ser assumida pelo Tesouro Nacional. Foi mais um "Cavalo de Tróia" que mandaram para os aposentados, no apagar das luzes de 2009. Os empresários muito em breve não terão mais os atuais 8 milhões de consumidores que ajudaram a ser indigentes.

Anônimo disse...

Dá pra ter até a impressão de que este governo faz as coisas tudo mesmo premeditado. Prá que criar toda esta confusão com relação a poupança? SE agora muda de idéia justamente no ano eleitoral. Só pra se aparecer o mocinho bonzinho?

Anônimo disse...

A "teta" do governo é gorda e ninguém quer largar. PT&Lula, amigos e companheiros têm grandes planos de como se "arrumar". Trabalhar dá trabalho e pelo visto o resultado financeiro é incerto e a aposentadoria miserável. O FHC criou o imposto sobre grandes fortunas, mas pelo visto só a classe média se encaixa, pois surge impostos para ela a todo momento. Fiquemos calmos, novos impostos virão após as eleições e as dívidas dos megas eventos também - Copa/2014 e Olimpíadas/2016.

Lucano disse...

Eu só queria saber porque os fdp (não é o que você está pensando, fdp quer dizer filantropos de plantão)que fazem cortesia com o chapéu dos contribuintes e principalmente dos aposentados e pensionista do INSS, não são denunciados pela "turma dos direitos humanos" como criminosos?
Neste País os criminosos tem a proteção e regalias que o cidadão comum. Eles podem roubar, assaltar, matar, fazer tráfico de drogas, explorar jogos de azar e ainda são paparicados. É quem perdeu um pai excelente, trabalhador, pagador de impostos que sustentam os fdps que ocupam mandatos eletivos ou cargos públicos, tem o direito de matar o marginal quem matou seu pai ou seu irmão, ou sua filha, ou sua mulher e não foi para cadeia? Pô...!!Vão para pqp (também não é o que você está pensando - pqp quer dizer: passárgada quando puderem), deixem de ser hipócritas defensores de pilantras e marginais.

Val-André Mutran disse...

Obrigado pela colaboração Anônimo das 9:09.

Val-André Mutran disse...

Anônimo das 10:36. Realmente é para ficar com a pulga atrás da orelha.

Val-André Mutran disse...

Como cidadãos que pagam esses altos impostos, caro Anônimo das 10:55, não podemos deixar de cobrar aos nossos candidatos, mecanismos claros de controle, de preferência na internet, sobre os gastos com os dois eventos que você citou.
Abraços.

Val-André Mutran disse...

Lucano,
Fazer "cortesia" é proselitismo político com o chapéu dos outros é especialidade de maus políticos.
Xô para essa raça!

virginia Leite disse...

Sim, pobre quando vê esmola, desconfia que algo de podre acontecerá!
Desse "famigerado" governo não se pode ou se deve esperar nada de bom em prol do povo.
Tal "benesse" é mais um engodo, condiderando-se que as eleições estão chegando e, os eleitores precisam ser comprados.
O lamentável é que, grande parte do povo é de levianos, os quais se vendem por qualquer tipo de "bolsa"
ou de "pseudos e enganosos atos de " bondade governamental"
Sim, DEUS existe e, se ELE assim o quiser, o governo não elegerá sua "indesejada" candidata!
A propósito, minha reação a essa
ardilosa atitude de não mexer nas poupanças dos pequenos é de "NOJO".