Cenipa confirma aumento recorde de acidentes com aeronaves no Brasil

O ano de 2011 fechou com recorde de acidentes aéreos no Brasil. É o que informa relatório do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), divulgado esta semana. Segundo o documento, foram registradas 156 ocorrências no ano passado, 41% a mais que os 110 casos apontados em 2010 e o maior registro desde 2001 –segundo números disponibilizados pelo órgão. Dos acidentes em 2011, 130 foram com aviões e 26, com helicópteros. Nos estados da Amazônia, o número é recorde absoluto. Foram 7 acidentes apenas nos dois primeiros meses de 2012.

Os dados do Cenipa apontam que 90 pessoas morreram em acidentes aéreos no ano passado, maior número registrado desde 2007, quando 271 passageiros e tripulantes morreram –199 deles só na colisão do avião da TAM com um galpão da própria empresa, no aeroporto de Congonhas (SP).

Em 2006, quando um avião da Gol caiu após chocar-se com uma aeronave modelo Legacy, matando as 154 pessoas do voo 1907, foram registradas 210 mortes. Desde o início do século, em 2001, 1.060 pessoas morreram em acidentes aéreos no Brasil.

Dos 156 acidentes de 2011, 30 tiveram vítimas fatais –o segundo maior número desde 2007, quando 32 acidentes fatais ocorreram. Pela média, um em cada cinco acidentes resultaram em morte em 2011.

Das 90 mortes, 16 ocorreram num único e maior acidente do ano, no Recife. No dia 13 de julho, uma aeronave modelo LET-410, da companhia No Ar Linhas Aéreas, caiu em Boa Viagem três minutos após a decolagem. As causas do acidente ainda são investigadas.

Ao todo, 34 aeronaves tiveram perda total com os acidentes –maior índice dos últimos três anos. Os números, porém, ficaram atrás dos maiores já registrados, em 2001 e 2009, quando 46 aeronaves foram perdidas nas ocorrências.

Nenhum comentário: