Ministro dos Transportes detalha cronograma de obras prioritárias para o norte do país

Foto: Marisa Romão

Ministro dos Transportes detalha obra para o Centro-Norte


Parlamentares da Bancada do Pará, representantes do governo estadual, foram recebidos nesta tarde pelo ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos e sua equipe.

Foi detalhado às autoridade o cronograma de doze projetos de obras de infaraestrutura para os Estados do Pará, Tocantins e Maranhão, conforme resumiu a jornalista Marisa Romão. Confira a lista com comentários deste blogguer:

1-Sinalização Náutica (Foz de Marabá);
2- Derrocagem do Pedral do Lourenço (imprescindível para a continuação do Projeto ALPA/ALINE [Plant, da mineradora Vale);
3-Projeto Eclusa de Tucuruí (faltam adequações para sua viabilidade);
4- Projeto Eclusa HUE de Marabá (evitar um possível apagão no Sistema Elétrico Nacional);
5-Projeto Terminal Intermodal de Marabá (alternativa de escoamento da produção no Centro-Norte);
6- Ccnclusão da Eclusa do Lajeado (evitar um possível apagão no Sistema Elétrico Nacional e viabilizar uma política de redução de tarifas para equalizar o custo do consumidor residencial e industrial);
7- EVTEA Tocantins;
8- Dragagem e Manutenção;
9- Projeto Derrocagem (Trecho Marabá/Imperatriz);
10- Projeto Eclusa UHE - Serra Quebrada;
11- Projeto Eclusa de Estreito e
12- Projeto Básico p/ Sinalização Náutica (Trecho Marabá- Lajeado).

Sérgio Passos garantiu que sua pasta em parceria com a Vale, promoverão, em Brasilia, um Workshop, no dia 28 de setembro, com o objetivo de discutir com os parlamentares paraenses, o projeto definitivo da "Derrocagem do Pedral do Lourenço", prioridade zero do governo federal, mineradora e motivo de grande apreensão do setor empresarial e lideranças sociais do Sul do Pará.

Comentário do blog: Na semana passada, na mais nobre Sala do Corredor das Comissões da Câmara dos Deputados, teve início a estratégia política da oposição, leia-se: PSDB de Minas e do Pará, para pressionar o governo federal numa questão de interesse nacional: a atual legislação do setor mineral, a partir dos critérios do cálculo do Cfem,

Os governadores dos dois Estados, bem que tentaram mas acabaram cabisbaixos, ao convocar as respectivas Bancadas no Congresso Nacional para defender mudanças na atual legislação que regulamenta a mineração no país e testemunhar uma reunião esvaziada.

Na velocidade de um Super-Herói – Marcando presença relâmpago à reunião. O senador Aécio Neves (PSDB-MG), farejou um grande "mico". A Sala estava vazia.

De olho na sucessão presidencial em 2014. O senador mineiro foi mais rápido que um Super-Herói em cartaz em Salas de "Cinema 3D". A velocidade foi digna de registro da nova edição do Livro dos Recordes.

Algumas rápidas palavras. Só isso! Nada mais.

Aécio não ficou no lugar nem meia hora. Alegou outro compromisso inadiável e "vazou".

Confira os detalhes na reportagem do Valor e tire as suas conclusões.

2 comentários:

casemiro de andrade disse...

Isto mostra como a bancada do nosso estado está interessada no desenvolvimento econômico do nosso Estado. É por estas e outras que a hidrovia não sai do papel. O governo federal vai dar prioridade sempre para outras bancadas de outros Estados mais ativas que estão dia e noite pressionando pelas obras em seus Estados. E a nossa bancada que não participa das reuniões, vai ficando de lado e nossas obras vão junto.

Val-André Mutran  disse...

Em tese, caro Casemiro de Andrade. Caberia ao governador "azeitar" seus planos (promessas de governo) com a Bancada do estado o qual representa.
Mas, o governador do Pará "já voltou! Sem nunca ter ido...!!" Meu caro.
É um técnico muito bom, mas um dia enganaram-no ao comentar que ele daria um ótimo político.
Não é que ele pegou corda!
Ruim de serviço até onde você imaginar.
Está no segundo mandato como governado, veja bem.
O Estado está sendo conduzido à bancarrota.
Mas se tú convidar o cidadão para ele pescar.
Ai cumpadre, tú vai ver o que é show!
Se tiver um violão para ele tocar e cantar então...!
Dizem que é fenomenal!!
Uma pena que a Rede Globo ainda não descobriu tamanho talento.
Uma pena.