Outro olhar de Flavya Mutran

Fotos: Val-André Mutran

























A paisagem retrata o complexo Beira-Rio, arena do Sport Club Internacional, em Porto Alegre, time de futebol paixão de muitos gaúchos e que está com um ambicioso plano de modernização.

A foto foi tirada do 16º andar do hotel onde estou hospedado em Porto Alegre.

O interesse de minha visita à capital gaúcha, porém, não é futebol.




















Minha motivação é a Vernissage que terá início na Galeria Xico Stockinger - Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul – espaço cultural trilegal –, onde minha irmã, a arquiteta e fotógrafa Flavya Mutran, fará sua mostra individual "Pretérito Imperfeito de Territórios Móveis", um dos trabalhos premiados com o XI Prêmio Funarte de Fotografia Marc Ferrez de 2010, do Ministério da Cultura, que abre amanhã, na Casa de Cultura Mario Quintana.

O trabalho – A exposição surgiu das indagações e reflexões da tese de Flavya Mutran como fruto de sua pesquisa de Mestrado em Artes Visuais (ênfase em fotografia), desenvolvida no PPGAV do IA-UFRGS, em Porto Alegre/RS (com Bolsa da Capes).
É mais uma expressão de seu esforço profissional, abordando a semiótica que dirige as imagens, formas e aquilo que vemos no multifacetado plano de perspectivas do olhar em altíssima velocidade sendo disseminado nas redes sociais da ponto com.

Ainda guria e já apaixonada pela fotografia, Flavya apostou na carreira muito cedo, após conviver com o profícuo núcleo de formação desenvolvido pela ONG Foto Ativa; referência de reconhecimento nacional e internacional, de fotógrafos do Norte do Brasil.

Mergulhou no mundo da fotografia, no fotojornalismo, ao mesmo tempo em que traçou trabalhos paralelos com foco em sua própria produção.

O blog cobrirá a abertura do evento e amanhã publica mais detalhes.

Onde:

Rua dos Andradas, 736

Casa de Cultura Mario Quintana, 6° andar

Centro Histórico / Porto Alegre/RS

Visitação de 19 de março a 17 de abril de 2011, de segunda a sextas, das 9h às 21h,

sábados, domingos e feriados, das 12h às 21h / Tel 55 (51) 3221.5900

6 comentários:

Márcia Corrêa disse...

Parabéns à Flavya, que conheci quando criança em Macapá. Fico muito feliz de vê-la dedicada ao que escolheu e colhendo os frutos de seu trabalho/arte.

Val-André Mutran  disse...

Você é a Marcia amiga dela?!
CAso positivo, ela falou ainda pouco de você pra mim.
É tua fã e te adora.
Beijos pra ti, por ela.

Márcia Corrêa disse...

Parabéns à Flávya, que conheci quando criança em Macapá Fico feliz de saber de sua dedicação pelo que escolheu, pelo que se apaixonou. Sobretudo pelos frutos dessa escolha de trabalho/arte.

Márcia Corrêa disse...

Bom, acho que ela falou de outra Márcia. Convivi pouco com ela, apenas nas festinhas de infância. Mas, se não me falha a memória havia uma Márcia loirinha que era bem ligada à Flavya. Eu sou filha do jornalista Corrêa Neto e irmã do Eduardo Corrêa.

Val-André Mutran  disse...

Amanhã confirmo com ela. Deve ser sim.
Você é filha de um dos melhores jornalistas do Brasil.
Mande um abraço ao Corrêa Neto.
Sou fã do trabalho dele e ávido leitor.
– Um mestre, seu pai.
Parabéns.
E você. Não é jornalista também?

Flavya Mutran disse...

Márcia, que surpresa ter notícias suas. Tens razão, não era sobre você que falávamos, e sim uma amiga jornalista do Pará. Coincidência de nomes apenas. Continuas com a mesma carinha de qd eras criança. Espero que estejas bem e obrigada pela lembrança. Quem sabe eu ainda consigo levar esta exposição para Macapá, assim como em 1999 eu consegui levar a primeira individual. Bjs