Quem recebeu o quê?

Confira como e qual foi o benefício de cada um dos parlamentares suspeitos de envolvimento na máfia das "sanguessugas", segundo depoimento dado por Luiz Antônio Vedoin à Justiça Federal, como moeda de troca para enquadrar-se na delação premiada.

O empresário matogrossense é apontado pelas autoridades como um dos operadores do esquema e sócio da Planam - empresa que fornecia as ambulâncias superfaturadas com verbas do Ministério da Saúde.

Pelas regras, é obrigatório a destinação de 30% do total de R$ 5 milhões à Saúde das emendas individuais que a cada ano um deputado federal ou senador tem direito.

Os depoimentos contra os envolvidos você confere aqui.

Abaixo o que pesa contra dois deputados federais e um ex-deputado paraenses.

Raimundo Santos (PL-PA) - Fez um acordo pessoal para receber 10% do valor das emendas. Parte do pagamento da propina teria sido paga a Ubiratan Lovelino Filho, um "agiota do Pará a quem o parlamentar estaria devendo".
Para disfarçar, quem fez os depósitos foi um motorista de Vedoin. O deputado indicou contas de assessores para os outros depósitos. Reclama que pagou R$ 104,6 mil a mais que o combinado e
que o deputado não devolveu o "empréstimo".


Josué Bengston (PTB-PA)
- Não tinha percentual fixo de propina, mas recebia "ajuda". Dois pagamentos de propina, no total de R$ 39 mil foram feitos em nome da Igreja do Evangelho
Quadrangular para "construção de um templo".
Também recebeu dinheiro na própria conta.

Ex-deputado federal Renildo Leal (PTB -PA) - Acertou 10% por emenda.
Além, do dinheiro, ganhou um aparelho de ultrassom no valor de R$ 70 mil. Um cheque, de R$ 15 mil foi emitido pela empresa Santa Maria para o parlamentar.

6 comentários:

Blog do Milton Faria disse...

Tenho acompanhado pela tv e pelos jornais as campanhas dos candidatos.Tanto para a Presidençia quanto para outros cargos.É impressionante como as campanhas não mudam e em todos os anos eleitorais o cidadão é obrigado a ouvir tantas denuncias que acabam não apuradas e tantas promessas que não serão cumpridas.A maioria dos envolvidos em coisas erradas, pro exemplo nesta "mafia" que sugou o dinheiro da nação em seu proprio proveito, é candidato de novo e voltará certamente à vida parlamentar pelo voto de pobres evangelicos doutrinados e que não raciocinam por conta propria.A maioria nem tem acesso à informação e morre de medo de tudo.Em sã conciençia, alguem acredita que algum "Sangue-Suga" será punido?

Val-André Mutran disse...

Grande Milton.
Espero que estejas bem amigo.
Só tem um jeito: depurar nas urnas.
Abs

Alcilene Cavalcante disse...

Vall André, aqui no Amapá quase 50% da bancada é sanguessuga. Valei-me meu São José.

Val-André Mutran disse...

Olá Alcilene. Realmente alguns políticos do Amapá estão em peso na lista, nada porém, exclusivo do Amapá.
E o eleitor, está informado disso? Vai reeleger os suspeitos.

Anônimo disse...

A maioria dos "bons meninos" sangue sugas é do chamado baixo clero, evangelicos de carteirinha.Será que não estaria passando da hora de pedir perdão pelos pecados cometidos?Ou estariam acima da lei porque andam com a Biblia debaixo do braço se deizendo donos das "Verdades"?

Val-André Mutran disse...

Penso que não é a opção religiosa que faz o homem, mas, seu comportamento ético. Há bons deputados evangélicos anônimo, posso-lhe garantir.
Porém, o desvirtuamento agora compravado de muitos deputados que tamb;em são líderes religiosos é um fato assustador.
As urnas, assim espero, farão o expurgo destes descrentes de Deus.
Volte sempre anônimo.