Calote institucionalizado


A OAB está preocupada com a aprovação da chamada PEC do Calote, que trata dos precatórios. “É inconstitucional, amesquinha as decisões judiciais e tunga o cidadão credor da fazenda pública”, avalia o vice-presidente nacional da OAB, Vladimir Rossi Lourenço. Aprovado na noite de terça-feira, em comissão especial da Câmara, o parecer do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), relator do projeto, prevê leilões para priorizar o pagamento dos credores que concedam os maiores descontos.

O Brasil perdeu a vergonha de vez e os credores assistem esse absurdo com um solene silêncio.

Um comentário:

Anônimo disse...

Já que a Fazenda Pública não pagará o que deve, que tal os cidadãos também não pagarem o que devem à Fazenda?
Impostos como o de Renda e os demais, poderiam ser "esquecidos" na mesma lata de lixo em que o governo arrecadador esquece-se do que deve.
Assim não dá para ser cidadão!
Assim não dá para se respeitar lei alguma neste país sem seiedade.