Reajuste dos aposentados: Quem acredita?

Governo quer resgatar dívida com a população dando reajuste a aposentados

Ministro Luiz Dulci afirma que regime estável de reajuste permitirá ao cidadão fazer planejamento familiar de gastos

A política do governo para reajuste do salário mínimo e das aposentadorias e pensões quer resgatar uma dívida da União com toda a população, com perdas originárias das décadas de 80 e 90, conforme comentário do ministro Luiz Dulci, da Secretaria-Geral da Presidência da República.

Ele recorda que há poucas semanas o governo aceitou acordo proposto pela maioria das centrais sindicais e enviou ao Congresso Nacional projeto que prevê nova base de cálculo para aposentadorias e pensões e que vincula as correções anuais dos benefícios a 50% da variação do Produto Interno Bruto (o PIB), a soma de todas as riquezas produzidas no país a cada ano.

No entanto, segundo ele, houve críticas de que a aceitação da proposta dos representantes dos trabalhadores iria agravar o deficit da Previdência Social. A correção do salário mínimo e dos benefícios da Previdência Social, conforme Dulci, deverá continuar nos próximos anos, permitindo ao cidadão "assumir uma prestação para comprar alguma coisa, porque saberá que terá aumento real”.

Para Dulci, esse regime estável de reajuste permitirá também ao cidadão fazer planejamento familiar de gastos “e tudo deverá acontecer sem inviabilizar nem a Previdência nem as contas públicas, numa perspectiva de que é possível continuar avançando para a justiça social".

Há vozes também, segundo ele, que cobram do governo a reposição de perdas de 20 anos em apenas um ano, o que é inviável dentro das contas do país. Por isso, tudo tem que ser feito de forma gradativa, diz o ministro.

O ministro da Previdência Social, José Pimentel, por sua vez lembra que o acordo que está sendo analisado pelas lideranças partidárias envolve 18,5 milhões de aposentados e pensionistas que ganham um salário mínimo e 8,2 milhões de beneficiários que recebem acima desse patamar. Para esses, a correção pela variação do PIB verificado dois anos antes, segue um indicador estatístico que permite uma correção estável para os benefícios.

Os ministros Luiz Dulci e José Pimentel deram entrevista nesta quinta-feira ao programa Bom Dia, Ministro, da Empresa Brasil de Comunicação - EBC, conectado a uma rede nacional de emissoras de rádio do país.

O ministro José Pimentel afirmou que o fator previdenciário, que é muito criticado no país, só foi aplicado para 6% de 4.460 benefícios concedidos para aposentadorias por tempo de serviço em 2008. O fator não é empregado em outros casos nem na parte urbana nem na rural. Ele é usado para basear os benefícios concedidos por invalidez permanente, salário maternidade ou pensão por morte.

A Previdência Social tem investido muito para melhorar o atendimento, de acordo com o ministro José Pimentel. Ela caminha para equilíbrio de suas contas na área urbana, segundo ele, devendo passar a ser superavitária. Em 2007 eram necessários até R$ 14 bilhões para fechar essa conta. No ano passado, apesar da crise econômica, o deficit para os pagamentos na área urbana foi de apenas R$ 1,2 bilhão, segundo informou.

Em 2009 a Previdência Social já pagou R$ 6,1 bilhões de passivos previdenciários "negados pelo sistema" nos anos 80 e 90 e serão necessários ainda R$ 1 bilhão para fechar as contas da área urbana, estando reservados R$ 6,750 bilhões para pagar passivos judiciários no próximo ano. Esse valor, segundo Pimentel, supera o orçamento de 15 estados da Federação e está acima também dos repasses do Fundo de Participação dos Municípios para centenas de cidades do país.

Fonte: Ag. Brasil

18 comentários:

David Vieira disse...

Sei que é dificiu tomar decisoes que favoresan os sofridos apodentados.Ja temos uma perda de mais de 50% do nósso salario.tudo é dificiu para nos. Mas não é difici para o governo faser estradas e m paises que não temos nada a ver com suas dificuldades,
Poderia o governo dedicar parte dos recusos do Presal a previdencia asim poderia se corriguir o defise da prevedensiam e todos ficarian contentes.
É uma ideia não é?

David Vieira

david_vieira@ig.com.br

Geraldo de Azevedo disse...

Ninguém acredita, quanto mais o governo retardar a resolução deste problema que já vem se arrastando por anos, mais credibilidade perde junto ao povo em geral, principalmente os senadores e políticos que já tem suas imagens abaladas por inúmeros escândalos e procedimentos que envergonham a nação.

Cleia Carvalho disse...

Continuo na luta, mas ao mesmo tempo estou descrente. Nossos políticos não tem competência para agilizar uma coisa tão simples como, o caso de quem ajudou a constuir um Brasil. Os aposentados estão passando fome. Quando é do interesse deles é em questão de minutos.
Viva o meu Brasil!!!

Anônimo disse...

quando é pra aumentar o salario de-
les que nunca trabalharam,eles não querem nem saber se vai quebrar o
tesouro da nação,eles aumentam,ago-
ra,quando se trata dos trabalhado-
res,ai não,não pode,pois o orçamen-
to não dá,porque,porque.....kkkkk,
essa é ótimna.

Anônimo disse...

PARA A FARRA DO GOVERNO ENVOLVENDO FALCATRUAS E NEGOCIATAS BILIONARIAS NÃO FALTA DINHEIRO, TUDO É RESOLVIDO PARA O BENEFICIO DO PESSOAL, MAS QUANDO SE TRATA DE UM DEVER JUNTO À POPULAÇÃO, MAIS PRECISAMENTE, AOS APOSENTADOS, ENTÃO NÃO ACHAM NEM DINHEIRO, NEM DISPOSIÇÃO, TAMPOUCO SOLUÇÃO.
ATÉ QUANDO TEREMOS DE SUSTENTAR ESSA CAMBADA?
URGE QUE A POPULAÇÃO SE ERGA EM UNISSONO, TEMOS PODER SIM, COM UNIÃO DE PROPÓSITOS.
O GOVERNO HÁ MUITO PASSOU DOS LIMITES. ESTÃO BRINCANDO DE GOVERNAR!!!
O POVO, NÓS TODOS, DEVEMOS MUDAR ESSA REALIDADE!
JOSE ANTONIO

Anônimo disse...

O fator é inconstitucional e sera julgado quando nesse pais houver justiça.Ministro não seja infantil ,o povo não é mais bobo!!!

Anônimo disse...

Não é verdade as indagações do Sr ministro ,que o fator previdenciário so é aplicado para aposentadoria por invalidêz e pensões ,o fator previdenciário esta sendo aplicado em todas as concessões de aposentadorias ,todas sem escexões.

Anônimo disse...

L. Dulci deve ter faturado uma "grana" e tanto durante seu período no governo Lula. Dizer que a proposta entre as centrais sindicais irá resgatar a dignidade dos aposentados é conversa de quem já forrou os bolsos e vive fora do Brasil. As centrais sindicais não representam os aposentados, portanto L.Dulci deveria fazer um curso de atualização e conhecer melhor a legislação trabalhista. L.Dulci deveria sentir-se envergonhado em falar sobre acordo com aposentados, aliás, pessoas muito mais capacidadas/conhecedores da legislação trabalhista do que ele. O governo Lula é uma piada que nos custa caro e nos tira a paciência.

Anônimo disse...

fala para o ministro pimentel,mostrar em numreros quanto arrecada a previdencia e,quanto e gasto com pagamentos a aposentados e pensionistas ,e mostrar tambem quanto se gasta com pensionista que nunca contribuiran. OBRIGADO;

Anônimo disse...

Prezados(as) Senhores(as) internautas, tenho lido vossa indignação nas seções de “Opinião do Leitor”, Orkuts, Sites, etc,.. comungo em gênero, número e grau aos vossos reclamos e me uno à vossa revolta e não concordância das contínuas ações contrárias às expectativas do povo brasileiro. Em suma do eleitor que exige respeito, tem opinião e quer o seu bolso preservado e protegido de assaltos de qualquer natureza. Precisamos iniciar uma “Corrente da Dignidade”, a começar defendendo nossos pais, mães, avós, avôs, que depois de 35 anos ou muito mais se aposentarem com 10 salários mínimos. Após cinco anos, êles estarão reduzidos a 5 salários mínimos e depois de dez anos estarão recebendo 1 salário mínimo. Vamos começar defendendo os nossos ascendentes pois assim estaremos defendendo também os nossos filhos e a nós próprios. Vamos limpar as sujeiras desta nação. Sugiro que divulguem as informações abaixo:
MANIFESTO DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS
1 - SOMOS A FAVOR DOS REAJUSTES DOS NOSSOS SALÁRIOS SEM CORTES. NÃO, AO FATOR PREVIDENCIÁRIO.
2-NÃO À CORRUPÇÃO, ÀS PROPINAS, À EVASÃO DE DIVISAS, ÀS IMPRO BIDADES DE TODOS OS TIPOS, VEICULADAS PELA MIDIA HÁ ANOS.
3 - A PREVIDÊNCIA TEM UM CRÉDITO A RECEBER DE R$ 300 BILHÕES.
3.1 - HÁ DESVIOS DE R$ 17 BILHÕES DA PREVIDÊNCIA, PARA QUEM NUNCA RECOLHEU, ENTIDADES FILANTRÓPICAS, EXPORTADORES RURAIS, PRODUTORES DE INFORMÁTICA E MICROEMPRESÁRIOS, BEM COMO SUBSÍDIOS AOS APOSENTADOS RURAIS E AUTÔNOMOS.
4 - “ESTE É O ROMBO DA PREVIDÊNCIA”???, USURPARAM OS NOSSOS RECURSOS PARA CONSTRUIR BRASÍLIA, A CSN, A PONTE RIO NITERÓI, A BELÉM BRASÍLIA, ITAIPU, TRANSAMAZÔNICA, ETC.. DEVOLVAM O DINHEIRO DOS APOSENTADOS AOS COFRES DA PREVIDÊNCIA.
4.1 - BASTA ÀS CÂMARAS DE GÁS ECONÔMICAS, NOS ASFIXIANDO. NOS FALTA COMIDA, REMÉDIOS, HOSPITAIS, ETC. GENOCÍDIO, NÃO. BASTA A SENZALA ECONÔMICA, QUE NOS MANTÉM ACORRENTADOS. ESCRAVIDÃO GERIATRICA, NÃO.
4.2 - CARAJÁS, NUNCA MAIS. ENTRETANTO MILHARES DE APOSENTADOS E PENSIONISTAS SÃO MORTOS DIARIAMENTE, POR LHE TIRAREM AS CONDIÇÕES MÍNIMAS DE SOBREVIVÊNCIA.
“MOVIMENTO BRANCO”
É chegada a hora de um movimento nacional, vamos demonstrar nossa revolta e exigir os nossos direitos pacificamente. Sabemos que devido a falta de recursos financeiros, saúde e sem retaguarda política, o aposentado, o pensionista, não tem condições de sair às ruas, nas estradas, fazer acampamentos, passeatas em frente das Prefeituras, invadir entidades públicas e privadas, etc. Por estes motivos conclamamos um movimento que cubra os nossos direitos, acima descritos, divulgando que somos a favor, da ética, da ordem e da moral. Vamos implementar, o “Movimento Branco”, através de atitudes simples, boas, baratas e eficientes. Por exemplo, vamos colocar uma fita branca no nosso punho, na antena, no espelho do carro, na lapela e na manga do paletó. Ainda nos nossos aniversários soltar balões brancos, já imaginaram que bonito 60 balões brancos ou mais no céu? ..... ou quando passearmos com os nossos netos eles segurarão na mãozinha um balão branco. Nos churrascos vamos usar no pescoço um lenço branco, “tchê”. Vamos colocar uma bandeira branca na janela da casa ou do apartamento e assim por diante. Vamos colorir o Brasil inteiro de branco, igual a cor dos nossos cabelos, exigindo o que é nosso por direito e basta a tudo que possa nos prejudicar. Quem ainda não se aposentou um dia vai se aposentar. Bolsa para todos os excluídos mas não com o bolso do aposentado. Portanto, continuaremos o “MOVIMENTO BRANCO” até atingirmos os nossos objetivos ATRAVÉS DO VOTO. Milhões de aposentados, pensionistas, e seus familiares, avós,avôs, mães, pais, filhas(os) ,netos (as), estarão protestando, VOTANDO EM BRANCO.
Valério Amichetti – vamichetti@uol.com.br – 13/07/2009

Waldir disse...

O pior de tudo é a mentira. Esse governo é composto de mentirosos. Dizer que a proposta é uma "contra-proposta" já é uma grande mentira. Mentira maior ainda é dizer que ela foi aceita pela maioria das centrais sindicais. Foram apenas seis e que não representam a classe dos aposentados e pensionistas. Não passam de pelegos do governo, como é o caso do Paulinho da Força que está mamando nas tetas do governo sem nunca ter feito nada de bom nem para os trabalhadores, que dirá então para os aposentados e pensionistas.

Anônimo disse...

Aumentos
O Bolsa-Família aumentou 10%, foram criados milhares de cargos comissionados, e houve aumento para os juízes, o que acarretará uma cascata de aumentos, começando pelos parlamentares, empréstimo ao FMI e perdão de dívidas de alguns países e verbas incalculáveis para o MST. E para os aposentados não pode porque vai onerar muito os cofres públicos. Nas eleições do ano que vem, temos que nos unir e modificar isto que aí está.

Luiz Gil, Porto Alegre

Anônimo disse...

A T E N Ç Ã O:

APOSENTADOS E PENSIONISTAS DO INSS.

Já que o Governo Lula e seus seguidores estão boicotando os PLs. que facilitariam a vida dos APOSENTADOS E AS PENSIONISTAS DO INSS, então vamos começar o contra ataque, ou seja, VAMOS BOICOTÁ também O CENSO que o Governo está realizando. Como fazer isso! É muito simples, NÃO DEIXEM QUE OS RECENSIADORES ENTREM EM SUAS CASAS PARA ENTREVISTA-LOS e SE POR ALGUM MOTIVO VOCÊ ACHAR QUE DEVE ATENDER O RECENSIADOR, ENTÃO O-FAÇA, MAIS MINTAM PRA ÊLES.
Pra se ter uma idéia, minha esposa
e meus filhos já estão instruídos para quando o IBGE bater a minha,ou
seja, não atende-los de maneira nenhuma.

Anônimo disse...

Observa-se que no anexo das renúncias previdenciárias, projetadas para 2010, o governo prevê renúncias no valor de R$ 18.955.418.014, que corresponde 8,84% do valor arrecadado, e mais, pelo que se depreende, nesse momento, não se verifica transferência/reposição para os cofres da previdência geral do valor correspondente pelo tesouro nacional. Como a renúncia previdenciária é instituida por lei(lei criada/votada pelos parlamentares e sancionada pelo executivo) o governo deverá repor esse dinheiro, afinal a decisão da renúncia é do governo,sem qualquer ingerência dos contribuintes, portanto, nada mais correto que o governo assumir tal responsabilidade do custo. É importante observar que os setores beneficiados por lei(futuros aposentados/pensionistas) terão os mesmo direitos que aqueles setores que contribuiram na totalidade dos valores instituidos(por lei).
Outro ponto que se deve considerar importante: Como o orçamento passa pelo legislativo, os parlamentares têm pleno conhecimento da situação real da seguridade social, o que então não justifica a posição radical de Henrique Fontana, L. Dulci, Pimentel e outros amigos de Lula em negar a recomposição das aposentadorias, ou seja, aprovação das PLs 01 e 4434.
Assim que possível, passo mais informações.

Anônimo disse...

SENHORES

ESTE ACORDO DOS APOSENTADOS E FARJUTO ,A CUT TEM QUE CUIDAR DOS TRABALHADORES;QUEM CUIDA DOS APOSENTADOS E A COBAP, O GOVERNO NOS DEU UMA PERNADA INFAME AO ACEITAR O ACORDO COM A CUT E ESTE TAL DE PAULINHO, E O LULA NÃO ESTA CUMPRINDO COM A PROMESSA FEITA EM 1989, BASTA VER NO APOSENTADO SOLTA O VERBO O DVD.
PORTANTO PT/LULA/DILMA NUNCA MAIS.

ESTÃO BRINCANDO COM A NOSSA DIGNIDADE.

Anônimo disse...

Tantas promessas, tantos argumentos, palavras, calculos justificativas ... O que na realilidade não apenas os aposentados querem, é um governo que seja justo com seu povo. Que dê a CESAR o que é de CESAR. Um país cujos governantes olhem sim para si mesmos (beneficios e etc que recebem ao serem eleitos) e que percebam se estão sendo justos ou não. Basta apenas um exemplo, nós (povo) se conseguimos emprego afastado de nossas residencias temos que arcar com as despesas de locomoção. Suas aposentadorias deveriam ser como a de todo o povo. etc.

Anônimo disse...

Ao requerer sua aposentadoria, o trabalhador do RGPS (há décadas e agravado em 1999 com o Fator) sofre uma violenta desvalorização no seu salário. Esse fato abala profundamente seu orçamento. Para piorar a situação, os reajustes anuais, ano a ano, definham mais ainda seu valor. A Constituição Federal de 1988 é clara: Os benefícios são irredutíveis. Portanto, nossa Carta Magna está sendo, vergonhosamente, rasgada.
Charles De Gaulle, há quase 50 anos, já dizia que "O Brasil não é sério..." Infelizmente, uma grande verdade! Paulo Rocha/RS

Anônimo disse...

Se os deputados e senadores não lutarem para repor as perdas de nos aposentados,ano que vem terá eleições vamos fazer campanha para nenhum deputado e senador seja reeleito.Não adianta dar desculpas que não tem verbas porque p/decretos secretos tem verbas avontade.