Pular para o conteúdo principal

Noite de lua cheia revive cabarés no 13º Maraluar

Jornal Correio do Tocantins

















Maraluar – em julho uma famosa festa no luar na praia do Tucunaré.















Para saber mais da festa clique aqui>>

Neste sábado (21) a praia do Tucunaré será palco para o 13º Maraluar, um baile ao estilo caribenho que reúne milhares de pessoas até o nascer do sol do dia seguinte. Nos últimos dias que antecedem a festa, mais de 100 pessoas trabalham para a realização da festa, entre carpinteiros, braçais, eletricistas e artistas-decoradores de cada espaço da arena que vai dando forma à casa de shows no meio da ilha.

O projeto embrionário do Maraluar começou com o Grupo Só da Terra, que congrega amigos que idealizaram a festa e a promovem até hoje. Este ano, eles demoraram cerca de dois meses para decidir sobre o tema e acabaram optando por reviver o glamour dos cabarés. “O Grupo Só da Terra tem o compromisso de recontar as histórias numa região de migração muito grande”, explica Vanda Américo, uma das coordenadoras da festa. Ela relembra que, assim como se vê na televisão retratar cabarés de época, Marabá também teve a magia dos cabarés e as festas a fantasia, com mulheres belíssimas que gastavam muito dinheiro com laquê, penteados, pinturas, plumas e paetês. Não era a prostituição do calçadão.

A história desse tema não é uma apologia à prostituição, mas uma forma de retratar a cultura dos cabarés”, justifica. Vanda observa que as pessoas iam para os cabarés para conversar, se divertir, discutir políticas, para jogar cartas e jogos de azar. “Tanto é verdade que o cenário lá dentro da arena será composto, principalmente, de jogos de azar, que enfoca a realidade do cabaré”, sustenta.

Segurança - Para garantir a segurança dos convidados, o Grupo Só da Terra mantém, desde a primeira edição do Maraluar, um cadastramento de barqueiros que transportam os participantes para a praia. Antes da festa, todos recebem orientação para que tratem bem o turista, independente da situação.

Cada embarcação é vistoriada antecipadamente pelas autoridades competentes para avaliar a capacidade e condições de trafegabilidade. Todos precisam ter coletes salva-vidas e boa estrutura de iluminação. “A idéia é oferecer uma festa agradável para manter todos os convidados na praia até o amanhecer, para facilitar o transporte de volta, sem atropelos”, enfatiza.

Bandas Com relação ao critério para a escolha das bandas, o Grupo Só da Terra procura valorizar a música regional. Para tanto, mantém contato com promotores de Belém para identificar quem está no auge para poder trazer ao Maraluar. O objetivo central é trazer duas bandas básicas para agradar pessoas dos mais variados gostos e idades. “Temos que ter aquela banda básica com instrumental de sopro que toca tudo, que é a banda do baile.

Temos mais uma banda de Marabá, Swing Moleque, que vai abrir a festa, desde às 22 horas, quando o pessoal estiver atravessando o rio, eles vão estar tocando”, antecipa. Depois do Swing Moleque, a noite será das bandas Zona Rural, Making Off e Maresia, de Belém. “Preferimos este ano contratar mais bandas com o objetivo de segurar os participantes na festa até o amanhecer, pois não queremos atravessar pessoas na madrugada, para evitar congestionamento de barcos no retorno”, esclarece Vanda. (Josélio Lima)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

AI 5 digital tucano é depenado

O projeto do AI 5 digital, de autoria do ex-senador e atualmente deputado federal tucano Eduardo Azeredo (PSDB-MG), foi drásticamente reduzido há pouco menos de quatro artigos da proposta original em tramitação na Câmara sobre crimes cibernéticos. A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, foi aprovada nesta quarta-feira (23) , mas sem a maior parte do seu conteúdo original. O relator, deputado Eduardo Azeredo (PSDB-MG), defensor do substitutivo do Senado ao Projeto de Lei 84/99, mudou de posição e defendeu a rejeição de 17 artigos da proposta reduzindo-o a 4 artigos.

O relator afirmou que a mudança foi necessária para viabilizar a aprovação da proposta. “A parte retirada precisa de aperfeiçoamentos, tanto para garantir que a liberdade na internet continue sendo ampla, quanto para ampliar os níveis de segurança dos cidadãos em uma norma que seja duradora e não fique obsoleta no curto prazo”, sustentou.

De acordo com Azeredo, os dispositivos retirados poderão …

Marconi Perillo e a desembargadora Beatriz Figueiredo Franco

Ag. Senado




















Certos apadrinhamentos políticos têm que ser defininitivamente desterrados da prática política republicana brasileira.

A justiça eleitoral do país tem nas mãos um caso em que a cassação e perda dos direitos políticos do senador e ex-governador por dois mandatos de Goiás Marconi Perillo é a punição exemplar a altura que o mau político merece após a revelação do escandaloso envolvimento com a desembargadora Beatriz Figueiredo, sua indicada ao desembargo no Tribunal de Justiça daquele estado.

Igualmente, a desembargadora tem que responder e ser for provado sua participação, punida exemplarmente. Um caso típico que deve ser analisado pelo Conselho Nacional de Justiça, caso a alta corte goiana faça corpo mole, como o fez a paraense no caso da juíza que se enrolou no caso da menor presa com homens numa cela pelo período de quase um mês.
Perillo e Franco foram pilhados em gravações autorizadas pela justiça as quais a revista Época teve acesso a trechos prá lá de comprometedores.

Num pr…

Porque Jânio Quadros condecorou Che Guevara

FUNDO DO BAÚ Blog do Chico Dias

A história vai do jeito que me foi contada por um ex-deputado do grupo janista. Que, por sua vez, a ouviu do ex-ministro Saulo Ramos, seu amigo, num momento de descontração e reminiscências.

Jânio acabava de assumir a Presidência da República e almoçava no Alvorada com José Aparecido, Carlos Castelo Branco e Saulo Ramos, seus assessores mais próximos. No meio do almoço seu ajudante-de-ordens veio lhe dizer que havia um importante telefonema dos Estados Unidos. O presidente vai até seu gabinete, demora alguns minutos e volta com uma expressão mais enigmática do que a de sempre. Diante da curiosidade indisfarçável dos três assessores, resolve abrir o jogo:

-Era o presidente Kenedy e queria me pedir um favor. Acho que vou atendê-lo.
O telefonema foi resumido assim. Kenedy explicou a Jânio que estava tentando aprovar no Congresso americano um projeto chamado Aliança Para o Progresso, mas que estava encontrando uma resistência muito grande.

Por isso pedia ao pres…