Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Grilagem

Empreiteira nega que tenha feito grilagem em MT

Outro lado

A empreiteira CR Almeida negou que tenha se beneficiado de suposta grilagem de terras em Mato Grosso, e disse que ainda não foi citada nas ações ajuizadas pela Procuradoria-Geral do Estado.

"Essas terras foram compradas em 1995 e tomamos todas as precauções para ter certeza da legalidade da documentação", afirmou à reportagem o advogado da empresa, Sandro Vicentini.

Disse também que Henrique do Rego Almeida se afastou da empresa há anos, e que hoje a CR Almeida não ocupa nenhuma das áreas.

Henrique defendeu a legalidade das compras. "Está tudo documentado, tudo certo." Ele afirmou que o repasse das áreas para Armando Santos de Almeida, a partir das pessoas físicas, foi legal.

A EcoRodovias afirmou que sua administração é dissociada da empreiteira, e que não tem relação com qualquer irregularidade que envolva a construtora.

Depois do Pará, CR Almeida é acusada de grilar terras em Mato Grosso

Segundo Procuradoria, grupo CR Almeida usou laranjas para alienar terras no Estado na década de 80

O Estado de Mato Grosso acusa a empreiteira do grupo CR Almeida de ter se beneficiado com a grilagem de 303 mil hectares de terras públicas.

O grupo é o mesmo da Ecovias, que administra o sistema Anchieta-Imigrantes (SP).
Segundo ações da Procuradoria-Geral do Estado ajuizadas entre abril e o mês passado, em meados da década de 1980 foram usados "laranjas" para alienar as áreas, que correspondem ao dobro da extensão da cidade de São Paulo. No total, a fraude pode envolver em torno de 489 mil hectares.

Pela legislação da época, empresas não podiam adquirir terras públicas. Para pessoas físicas, havia um limite de 3.000 hectares. Acima disso, deveria ser aprovado pelo Senado.

Por isso, ao menos 172 pessoas, a maior parte do Paraná (sede do grupo CR Almeida), conseguiram, por meio de licitação, pequenos lotes das cinco glebas intituladas São Tomé, na cidade de Apiacás.�…

Tinha fila para matar a missionária

Novo documento pode mudar rumo do caso Dorothy Stang, especula despacho da Radiobrás. Na verdade o que tinha era uma fila de descontentes com a atuação de Stang. do Oeste ao Sul do Pará, pistoleiros foram contatados para fazer o serviço. clipped from www.agenciabrasil.gov.br Brasília - Um documento recebido no final da tarde de ontem (7) pelas freiras Rebeca Spires e Julia Depweg – que trabalharam durante três décadas com a missionária Dorothy Stang – pode mudar os rumos do processo do assassinato da freira.

Mais aqui.

Prensa na patifaria com terras da Amazônia

Além da rapinagem dos nativos, grileiros, gafanhotos e outros insetos de circulação nacional, hoje mais um componente entra em pauta nas investigações da bandalheiras com terras na Amazônia.
Estão todos convidados.

O Presidente da Subcomissão Especial destinada a tratar de Questões Fundiárias e Agrárias na Região Amazônica

Deputado Asdrubal Bentes convida para a reunião que discutirá "As Investigações das Ong´s na Compra de Terras na Amazônia".

Convidados:

Conselheiro Fernando Coimbra – chefe da Divisão de Meio Ambiente do Ministério das Relações Exteriores; e

Senhor Roberto Kiel - diretor de Ordenamento da Estrutura Fundiária do Incra.

DATA: 8 de agosto de 2007LOCAL: Sala da Presidência da Comissão da Amazônia, Integração Nacional e de Desenvolvimento Regional, Sala T59, do Anexo IIHORA: 14h30