Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Custo das eleições 2008

Eleições no Brasil

Ag. Brasil



No próximo domingo, mais de 128 milhões de eleitores vão às urnas escolher prefeitos e vereadores. Conheça alguns números dessa eleição.

De alguma forma participe! Proteste!! Valorize a democracia.

A despolitização da política

Artigo - Frei Betto

Campanha eleitoral se ganha com TV. Em todas as eleições, os partidos contratam equipes para cuidar da imagem de seus candidatos. Em geral, equipe comandada por um publicitário que não é do partido, não gosta do partido e não vota no partido. Mas tem fama de competente...

Ora, competência rima com convicção. Qualquer manual de marketing, desses que ensinam a vender poluição atmosférica para ecologista, aconselha o vendedor a estar convencido da qualidade de sua mercadoria. Por isso, em muitas campanhas o programa de TV emperra. Troca-se de publicitário, de equipe e de estilo. E confunde-se o eleitor, pois, de uma semana para outra, o candidato light vira xiita ou vice-versa.

O mais dramático é constatar que se troca a ética pela estética. Não importa se o candidato é bandido, corrupto ou incompetente. Uma boa imagem fala mais que mil palavras. Assim, opera-se a progressiva despolitização da política, que é um dos objetivos do neoliberalismo. Tira-se a política do âmbi…

Péssimo exemplo

Repercute mal, muitomal a fala do presidente Luis Inácio Lula da Silva em palanque no Ceará.

As críticas são pertinentes e o presidente deu um péssimo exemplo do que um político não deve falar em hipótese nenhuma.

O presidente deu uma verdadeira aula de anti-ética política e os puxa-sacos aplaudiram obsessivamente.

Mais assim!

A turminha que se associou para jogar com Belém e resultou na insignificância em que hoje se encontra a ex-Capital da Amazônia, intima, ameaça e sabe-se lá Deus o que mais pode fazer para infiar goela abaixo do eleitor a sua vontade, conforme publica hoje, duas notas de O Liberal.

O vice-presidente do PSDB, Zenaldo Coutinho, diz que não considera mais tucano quem, sendo do partido, passou a integrar a equipe do prefeito Duciomar Costa.

O PSDB fará uma reunião com seus candidatos a vereador de Belém, exigindo deles fidelidade à legenda. Todos têm que apoiar a chapa liderada por Valéria Pires Franco.

A democracia tapioca, pelo visto, tanta fazer história com seu próprio tom de tinta.

Nota do blog: Senhores, democracia é adesão e não imposição.

Eleições 2008 ― custo do voto bate R$ 20,00

Os números milionários das campanhas nas grandes metrópoles escondem a realidade do custo do voto. Os candidatos à Prefeitura de São Paulo arrecadaram um total de R$ 33,6 milhões, mas o voto mais caro para prefeitos eleitos foi o de Maceió (R$ 19,20 a unidade), considerando apenas as capitais. No país todo, o custo médio do voto ficou em R$ 9 para candidatos a prefeito e R$ 4,5 para candidatos a vereador. Cada voto da campeã de arrecadação nas disputas para as câmaras municipais, Andrea Gouvêa (PSDB), custou R$ 45,98. Marta Suplicy (PT) arrecadou R$ 16,5 milhões e conseguiu 2,7 milhões de votos na disputa pela capital paulista. Um custo médio de R$ 6,03. No cálculo do custo do voto nas eleições para prefeito, São Paulo aparece na 14ª colocação entre as capitais, com R$ 5,52 a unidade. Nas disputas para as câmaras municipais, fica na 22ª posição, com média de R$ 3,59. O custo individual do voto também é baixo na cidade do Rio de Janeiro, apenas R$ 1,6 nas eleições para prefeito, apesar…

Campanha vai custar R$ 1 bilhão aos candidatos

Se quiser ser prefeito, um político precisa gastar em média R$ 83 mil, segundo levantamento de jornal

Com a proximidade das eleições municipais, os partidos se organizam para arrecadar doações de campanha. A primeira pergunta é óbvia: quanto custa uma campanha? Os números das eleições de 2004 são um bom indicativo. Na média do país, uma campanha para prefeito custa R$ 83 mil, enquanto a de vereador fica por R$ 3,2 mil. Mas essa média é puxada para baixo pelo grande número de pequenos municípios. No estado do Rio de Janeiro, por exemplo, a média das campanhas chega a R$ 213 mil. Na capital, o prefeito reeleito, César Maia (PFL), arrecadou R$ 2,7 milhões. Em São Paulo, o prefeito eleito, José Serra (PSDB), levou R$ 14,8 milhões. Mais ainda conseguiu a derrotada Marta Suplicy (PT): com R$ 16,5 milhões.

O levantamento foi feito pelo Correio Braziliense a partir da base de dados do programa Às Claras, da Transparência Brasil, com informações oficiais do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O t…