Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Agricultura

'O Brasil tem que ser mais agressivo nas negociações, diz ex-ministro da Agricultura

Entrevista - Roberto Rodrigues - Ex- ministro da Agricultura

A fala mansa e o jeito simpático não encobrem as opiniões fortes de Roberto Rodrigues sobre a condução da política agrícola no País. Entusiasta do agronegócio, Rodrigues foi ministro da Agricultura no primeiro governo Lula e hoje é coordenador do Centro de Agronegócio da Fundação Getulio Vargas (FGV) e presidente do Conselho Superior do Agronegócio da Fiesp, além de produtor de cana e grãos. Defensor da agroenergia como meio de reafirmação do Brasil no cenário internacional, Rodrigues combate a falta de um olhar mais amplo do governo para a agricultura e de uma postura mais rígida do País nas negociações bilaterais. “Política agrícola existe; o que não existe é a sua implementação.” Leia a entrevista à DINHEIRO:

Dinheiro – No período em que esteve no Ministério da Agricultura, o sr. implementou políticas importantes, como o seguro rural. Depois disso, houve certa estagnação dos esforços políticos para o desenvolvimen…

Agricultura x ideologia

A moderna agropecuária brasileira é um caso inegável de sucesso. Apesar disso, há quem diga que nosso modelo está errado.AS IDEIAS nascem com a finalidade de interpretar a nossa existência e guiar os nossos comportamentos. Com muita frequência na história humana, as condições de nossa existência mudam, mas ideias antigas, mesmo tendo perdido sua relação com o mundo real e se tornado imprestáveis para interpretá-lo e compreendê-lo, conseguem uma sobrevida na mente de algumas pessoas ou grupos sociais. Esse pensamento surge a propósito de alguns discursos políticos que, mesmo confinados a territórios ideológicos restritos, podem eventualmente produzir alguma confusão, apesar de serem irremediavelmente anacrônicos. A moderna agropecuária brasileira é um caso inegável de sucesso. Parece impossível contestar seriamente esse fato se nos valermos exclusivamente dos dados da realidade. Enquanto a economia brasileira nos últimos 40 anos experimentou muitos altos e baixos, passando longos perío…

Tributos: Presidente Lula veta emenda sobre isenção ao Funrural

Após ser aprovada na Câmara, o presidente vetou o restabelecimento da isenção da cobrança do fundoGualberto VitaCom a decisão na última quarta-feira, 29, voltam a ser tributadas as sementes e mudas, o sêmen, os embriões, o ovo galado, o pintinho de um dia, o leitão e o bezerro. O veto presidencial, que consta no artigo 6º da lei 11.933, publicado no Diário Oficial da União, traz a alegação de que "a perda de receita com esse tributo compromete a preservação do equilíbrio financeiro da previdência". A cobrança da contribuição social para o Fundo de Apoio ao Trabalhador Rural (Funrural) onera em 2,3% sobre valor da comercialização os produtores rurais pessoas físicas nas suas relações comerciais com outros produtores, sejam pessoas físicas ou jurídicas. Implica ainda em pagamento de 2,3% para o INSS sobre o valor da comercialização de material genético. Desta alíquota, 2% são destinados à Previdência Social, 0,1% ao Risco de Acidente de Trabalho e 0,2% para o Senar.

Revoltad…

Deputados defendem plantio de cana em audiência com ministro da Agricultura

Brasília ― A decisão do governo federal de proibir o plantio de cana-de-açúcar na Amazônia, anunciada no último dia 4, foi objeto de uma reunião na tarde da última terça-feira, 12 entre os deputados federais Giovanni Queiroz (PDT-PA), Moreira Mendes (PPS-RO) e o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, em Brasília.

O parlamentar paraense destacou que há estudos de vários órgãos especializados dentre eles o da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), do departamento do Pólo Nacional de Bicombustíveis da Universidade de São Paulo (USP), batizado de Produção de Etanol: Uma Opção Competitiva Para o Aproveitamento de Áreas Alteradas no Leste do Pará, que atestam a disponibilidade de mais 9 milhões de hectares degradados aptos para a recuperação e plantio de cultivares de cana e de grãos, “sem que seja necessário derrubar uma árvore sequer na região”, informou Queiroz.

“É uma nau dos insensatos. Esse governo que o meu PDT dá apoio, e eu vou começar a repensar esse apoio, …

Doha não morreu

Artigo

O multilateralismo sobreviverá à decepção

Mark Twain ao ler, em vida e com saúde, seu obituário disse: "As notícias da minha morte são exageradas" Assim também as profecias de que a OMC e a Rodada de Doha estão liquidadas e enterradas me parecem pelo menos prematuras e, quase certamente, equivocadas.

Minha convicção é a de que a Organização Mundial do Comércio e o multilateralismo que ela expressa sobreviverão ao desapontamento e à frustração que o colapso da rodada de Doha, nos últimos dias, representou para a opinião pública internacional e para numerosos atores, públicos e privados, que tinham posto suas esperanças em que as negociações então em curso chegariam a bom porto.

Há, acredito, uma quase liturgia que faz com que cada sucessiva rodada sobre o comércio internacional dure bem mais do que se previa inicialmente, entre em colapso uma ou várias vezes ao longo do caminho e que, completada, produza resultados aquém dos esperados o que faz com que cada uma, carregue …

Transgênicos e a ideologia do MST

Em artigo do secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Xico Graziano, publicado hoje no jornal O Estado de São Paulo, intitulado “Mentira Ideológica”, ressalta os benefícios dos alimentos geneticamente modificados para a agricultura.

O artigo fala sobre os dois tipos de transgenia, a que recebe a sigla Bt e a RR. Com base em estudos, Xico afirma que as lavouras transgênicas necessitam de menos agrotóxicos do que as lavouras convencionais, já que estas precisam receber várias aplicações de herbicidas, dependendo do grau de infestação da área cultivada.

Ao longo do texto o autor esclarece uma questão levantada pelo líder do MST, João Pedro Stélide, que, durante uma entrevista a um canal de televisão, disse que os produtos transgênicos “entopem a agricultura de agrotóxicos”. Contrapondo a opinião do líder do MST, Xico Graziano defende os transgênicos com base em pesquisas técnicas e alerta sobre a ideologia do MST.

O autor ressalta ainda que “somente a crença no conhecimento cien…

Crescimento consolida a pecuária

A agropecuária cresceu 1,98% dentro da porteira, em dezembro, acumulando expansão de 12,18% no ano. A agricultura (lavouras) cresceu 1,91% em dezembro, registrando um crescimento acumulado de 12,26% no ano. Entre os destaques de 2007, o algodão registrou grande expansão em volume e pequena queda de preço. No caso do milho, houve grande expansão de preço e volume, enquanto a soja apresentou bom aumento de volume e preço. A cana-de-açúcar teve aumento de volume de produção, mas significativa queda de preço. O trigo enfrentou forte queda de produção, enquanto a batata, feijão, laranja, mamona e sisal tiveram quedas expressivas em suas receitas.

O segmento pecuário, nas atividades dentro da porteira, cresceu 2,08% em dezembro, acumulando 12,08% no ano. Frango e leite continuam sendo os destaques do segmento. Carne bovina e ovos também apresentaram firme crescimento.

Cabe registrar que o crescimento do agronegócio foi estimulado pelo segmento primário, que expandiu mais de 12% em 2007, acom…

Encontro discute a importância da agricultura do fumo

A multinacional Souza Cruz, braço da maior empresa fabricante de cigarros do mundo (British Tobacco) e a Fundação Getúlio Vargas, promovem um encontro na próxima segunda-feira, 6, na Churrascaria Fogo de Chão, em Brasília, para o lançamento do estudo: A importância da agricultura do fumo na Região Sul.

Prejuízo de produtores chega a R$ 75 bi nos últimos três anos

Governo planeja carência de até 5 anos a agricultores
PEDRO SOARES Folha de S. Paulo 10/7/2007
Renegociação de dívidas atinge R$ 6,9 bilhões; só 20% seriam pagos neste ano

Regras serão anunciadas até o dia 15 e envolvem créditos do BNDES e Banco do Brasil; objetivo é abrir caminho ao plantio da safra de verão O governo vai anunciar até o dia 15 as regras para renegociação de R$ 6,9 bilhões em dívidas em atraso de agricultores, principalmente com o BNDES e o Banco do Brasil. A proposta é prorrogar o vencimento de até 80% do valor do débito, segundo o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes.
De acordo com ele, a solução encontrada até agora prevê que os agricultores paguem 20% do valor que vence neste ano. O restante será adiado para o final do contrato de financiamento, que, na maior parte dos casos, é de cinco anos. Ou seja, os proprietários agrícolas terão um prazo de carência de quatro a cinco anos.
O objetivo, diz o ministro, é tirar esses produtores rurais da inadimplência e …