A fuga para justificar o fracasso de gestão de governo

Agenda paralela para engambelar o esperto eleitor do Carajás.

Com esse recurso dos mais afamados incompetentes, a governadora do Estado do Pará, Ana Julia Carepa, justificou sua estada relâmpago em Marabá no último final de semana.

Apresentou ao povo marabaense um projeto de suma importância: a sucursal da Cidade Digital.

Entretanto, apavorou-se com a possibilidade de sentar diante de 1.200 produtores rurais e agricultores do Estado que tenta, às duras penas, manter íntegro em sua territoriedade.

Carepa não responde a seus interlocutores privilegiados, como anda o "engavetado" Projeto de criação do Distrito Florestal do Carajás.

A governadora dos paraenses não consegue justificar porque não paga, como prometeu, as pensões aos sobreviventes e familiares do Conflito da Curva do "S". No episódio cuja responsabilidade total é de seu antecessor.

Antecessor, diga-se, que ela derrotou ao gracejar de um comentário (que deu-lhe a eleição) do Senhor Almir Gabriel, que cinicamente comentou que os índices fora de controle da violência no Estado em que governou por desgraçados oitos anos, "era apenas uma mera (talvez marola) sensação de insegurança.

A primeira mulher a ter o privilégio de conduzir os desígnios dos paraenses, mentiu, enganou e engabelou a bancada de seu Estado no Congresso Nacional ao propor:

Vocês colocam 10 e o estado coloca outros 20! Ele mentiu. Mente e continuará a mentir.

Governadora, cadê os 20?

A Ana Julia tão amada da música do grupo Los Hermanos, no Pará, sumiu! Tomou Doril!!!

Seu governo não move uma agulha para salvar a sustentabilidade do promissor Distrito Industrial de Marabá.

Seu governo não faz Ah! Para propor alternativas aos jovens desempregados que estão se acabando nas drogas, prostituição e abandono de famílias desempregadas, famintas e relegadas à própria sorte.

Ana Julia Carepa não diz o que fará em Curionópolis. Canaã dos Carajas, Eldorado do Carajás, Itupiranga.

Itupiranga espera, em berço destruído (seria esplêndido caso houvesse sensibilidade e conhecimento governamental), a liberação de uma montanha de recursos em projeto já aprovado para criar-se ali e em Tucuruí, os mais espetaculares entreposto de pescados de água doce que o mundo jamais viu.

É governadora — seu (des) governo, não fará falta.

3 comentários:

Zé Dudu disse...

Batuta irmão! As verdades precisam ser ditas e você as disse com todas as letras!

Val-André Mutran disse...

Alguem tem que alertar que esse (des) governo não pode prosseguir enganando o povo amigo Ze Dudu.
A Bancada está agoniada. Os convênios não saem das gavetas. Os municípios lascados! Em razão da crise internacional.
R$ 5 bilhões torrados em presepadas.
Peralá! Já chega.
Ninguém merece.
Uma Boa Páscoa para você.

Anônimo disse...

Não foi atoa que o Presidente Lula, logo após a sua posse, teceu comentários a respeito de alguns governadores empossados. Falou bem dos Governadores de São Paulo, de Minas Gerais, do Rio de Janeiro e sobre o do Pará, ele disse: "Um desastre anunciado". Publicado na Revista ISTOÉ.
Se ele sabia que seria assim, por que então fez campanha para a eleição dela? Parece que a intenção era mesmo de destruir o Estado do Pará!