Protógenes Queiroz: um herói nacional

Peço licença aos leitores do blog para uma necessária introdução, absolutamentamente condenável, se estivesse trabalhando para um jornal qualquer de circulação nacional. Ou revista. Seja ela qual fosse.

-- Não, se trata de competição. Apenas uma questão de abordagem para chegar onde quero.

Chegar onde quero é muito fácil saber.

Aparentemente é tarefa fácil para quem lê, ouve e vê, as notícias do dia-a dia.

Chegar onde quero é chamar a atenção para os velhos/novos Messias que se apresentam de tempo em tempos.

Porque jornais, ditos respeitáveis; assim como, revistas de circulação nacional; que operam em outro patamar de informação. Adoram versões.

Em razão da garantia de minha opinião como cidadão, ressalto que este espaço, é de minha inteira responsabilidade e, portanto, por ele, respondo, como guarida de difusão de informação a qual tenho acesso. Resguardando os laços contratuais que mantenho com meu empregador, sob a condição de contrato ou, o que ocorrer.

Falo como cidadão aqui.

Como estou a ganhar meu pão no Brasil, e sou brasileiro, a ressalva é necessária.

Virou moda perseguir os que pensam e têm coragem de falar e escrever o pensam.

Os criticados, não admitem a crítica.

Ameaçam. Abrem processos. Intimidam.

Pedem aos amigos poderosos. Empenho para a decaptação em Praça Pública.

E o Rio?

-- Meu destino desde menino, quando em férias. Continua lindo. E cada vez mais seguro.

Os jornalistas de Brasília e assessores de imprensa com opinião própria estão sob análise de lupa.
Lupa ridícula, covarde, despreparada, dos que agora se apresentam, novamente, como os guardiões das instituições estabelecidas.

-- Que piada!

Por eles mesmo!!! Esses que se apresentam agora como homens muitíssimo preocupados com o bem estar nacional.

Essa gente, que se apresenta assim. Ocupando os espaços públicos como gente insuspeita. Vai reclamar de tudo e de todos que não rezam nas cartilhas da ocupação, saque, roubo e desatino nacional que remonta há 1509 anos atrás.

Esquecem-se, esses, que a maioria não passa por uma investigação particular de suas vidas pregressas.

Amam a mídia. Buscam-na, como o ouro de tôlo.

Vou citar um exemplo:
Um tipo de deputado de garganta.
Há muitos desse tipo por aqui. Disse isso e aquilo sobre a Imprensa.
Desafiou um desafeto político. Não apresentou provas.

Um falastrão ridículo.

Fez um mal articulado preâmbulo para sua intenção, mas... Caramba! Esqueceu-se de avisar sua assessoria que ele, ontem, "matou", "fuzilou", "massacrou", o vocábulo.

Essa gente, acostumou-se a "matar", "fuzilar", "massacrar". Atirar a esmo.

-- Imagina. Meu filho, matriculado numa espelunca dessa sob a supervisão de um tipo desse?

E ainda tem, o tipo, a coragem de desafiar a Imprensa para um embate. Visto que ela não lhe dá bola.

-- Se for esse tipo de gente que a Imprensa terá que aceitar como embate. Aí sim!... Estaremos lascados. Todos nós ferrados como gado à caminho do corte.

E pegaram o Protógenes para "pirarucu" na Páscoa!

Caros leitores.

Data venia, amanhã posto o que os recados de meus e-mail´s cobram dos deputados e senadores.

Só uma palhinha para a reflexão na Semana Santa.

Os campeões de reclamação, são os aposentados.

Os aposentados portadores de doença graves! Os policiais implorando por melhores salários e professores à beira de um ataque de nervos.

É esse o final de semana de minha reflexão na Semana Santa.

Um comentário:

Anônimo disse...

SÓ EXISTE UMA MANEIRA DE MANTER OS MAUS POLÍTICOS COM RÉDEA CURTA:

Dar poderes ao povo, através do voto - pelo menos uma vez por ano - de caçar os polítcos que:
1) não cumprirem suas promessas de campanha;
2) forem suspeitos de corrupção;
3) aumentarem seus próprios salários acima do percentual que é dado aos aposentados;
4) não tiver um comportamento ético (ex empregar parentes, farra com dinheiro publico, etc).
Tenho certeza que com estas medidas o Brasil vai melhorar e muito !!!