PSDB pede ajuda à Arruda para se viabilizar eleitoralmente no DF

Em busca de candidatos
Durante café da manhã com Arruda, tucanos pedem a ajuda do governador na tarefa de atrair quadros para o fortalecimento da legenda
Fraga está entre os secretários da administração que poderiam deixar o DEM para concorrer


Partido que terá candidato à Presidência da República, o PSDB tenta se estruturar no Distrito Federal para chegar mais competitivo nas eleições de 2010. Para crescer, a direção da legenda conta com o apoio do governador José Roberto Arruda (DEM). O assunto foi discutido num café da manhã, na semana passada, na residência oficial de Águas Claras. O presidente regional do partido, Márcio Machado, que é secretário de Obras, e tucanos históricos como Gustavo Ribeiro e Antônio Barbosa debateram a escolha e a entrada de nomes para fortalecer a legenda na capital do país.

O governador prometeu incrementar o partido, com nomes viáveis. Entre os políticos cotados para migrar para o PSDB está o deputado distrital Raimundo Ribeiro, que enfrenta problemas com o PSL, partido pelo qual se elegeu em 2006. Outro político citado na reunião foi o secretário de Esportes, Aguinaldo de Jesus (PRB). Os administradores regionais de Brazlândia, Edis de Oliveira Silva, conhecido como Nego Pirenópolis, e da Candangolândia, João Hermeto de Oliveira, estão entre os prováveis futuros tucanos. Ex-presidente da Câmara Legislativa, o ex-deputado distrital Fábio Barcellos (sem partido), hoje administrador regional do Jardim Botânico, também foi sondado. Eles deverão disputar uma vaga na Câmara Legislativa.

Candidato a deputado federal, Márcio Machado tem nas 1,7 mil obras do governo Arruda um cartão de visitas. Ele quer seguir os passos do deputado federal Tadeu Filippelli, presidente regional do PMDB, que se consolidou como o responsável pelas obras durante a administração do ex-governador Joaquim Roriz. A aproximação do PMDB com Arruda ajuda nesses planos, já que Filippelli fechou um acordo com o chefe do Executivo para ser candidato ao Senado em 2010. Márcio Machado quer se fortalecer como um nome que teria apoio do setor de construção civil para chegar à Câmara dos Deputados.

Ex-governadora
Além de Machado, o PSDB deve lançar também a ex-governadora Maria de Lourdes Abadia. A tucana já manifestou disposição de concorrer a um mandato de deputada federal. Ela, no entanto, tem se mantido discreta, longe dos holofotes, até que o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) julgue o recurso em que se discute a prestação de contas do governo dela em 2006. Os conselheiros reprovaram a administração de Abadia, que aguarda um novo posicionamento. Se mantiverem a decisão anterior, ela poderá ficar inelegível em 2010.

Dois secretários do GDF, hoje no DEM, também poderão se transferir para o PSDB: José Humberto Pires (Obras) e Alberto Fraga (Transportes). Ambos são lembrados como nomes para a disputa ao Senado, principalmente Fraga, que não esconde a pretensão. O problema do secretário de Transportes é que no DEM ele terá dificuldades para concorrer a uma vaga majoritária se o partido repetir em 2010 a chapa puro sangue, com Arruda como candidato a governador e Paulo Octávio como vice. “Nesse caso, o grupo político terá de ceder espaço para os partidos aliados”, afirma Márcio Machado. Fraga, no entanto, enfrenta rejeição do grupo que domina o PSDB desde a fundação.

Fonte: Correio Braziliense.

Nenhum comentário: