O Marajá das Alagoas volta a atacar

Renan contrata aliado

Peemedebista repassa parte da verba indenizatória para apadrinhado a título de aluguel de escritório em Maceió, onde também funciona diretório regional do partido

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), usa parte da verba indenizatória para contratar um aliado político em Maceió. De acordo com o balanço da ajuda de custo, o peemedebista repassou, no mês de abril, R$ 2,6 mil para Fábio Lopes de Farias referente a “aluguel de imóvel” para montagem de escritório político. No endereço de Renan, funciona também o diretório regional do PMDB.

O dinheiro faz parte dos R$ 15 mil mensais utilizados pelos parlamentares para financiar o exercício do mandato. Eles podem gastá-los com consultorias, viagens e outras despesas. Desde ontem, numa tentativa de amenizar o desgaste dos últimos meses, o Senado passou a divulgar informações mais detalhadas do auxílio, incluindo CPFs e CNPJs dos beneficiários dos recursos públicos. A nova sistemática vale para os gastos registrados de abril para cá. A divulgação desses registros, no entanto, revela situações até então desconhecidas do público. Caso do aluguel pago por Renan a seu afilhado político.

Empresário em Maceió, Farias é o segundo-suplente da executiva regional do PMDB, segundo informações do site do partido. Ele participou do governo Teotônio Vilela (PSDB), comandando por 14 meses a pasta da Educação.

Ocupava uma das cotas que Renan tinha na administração do então aliado. Farias desembarcou do governo no início de 2008, mas garantiu que a iniciativa não tinha a ver com o estremecimento das relações entre o tucano e o peemedebista. Há ainda uma passagem de Farias pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), órgão sob a influência do PMDB estadual, atuando na administração do porto de Maceió.

Além dos gastos referentes à locação do imóvel, Renan incluiu no item “aluguel de imóveis para escritório político e despesas concernentes a eles” serviços de telefonia (R$ 274,76), taxas de luz (R$ 380,92) e saneamento (R$ 45,66), IPTU (R$ 94,53) e serviço de telefonia (R$ 116,56). No total, pelo mês de abril, o peemedebista gastou R$ 6.414,62 com dinheiro do Senado. A Casa mantém também em sua página na internet dados sobre os valores gastos anteriores a abril, mas sem discriminar credores. A reportagem do Correio procurou a assessoria do líder do PMDB, deixou recado, mas não houve retorno. Tentou também, por telefone, encontrar Farias em Maceió, mas ele não foi localizado.

O número
R$ 2,6 mil foi o valor repassado por Renan a Fábio Lopes de Farias para pagar aluguel.

Fonte: Correio Braziliense.

3 comentários:

Anônimo disse...

O que mais que o Renam e sua tropa sabem fazer. Entraram na política para ganhar dinheiro, aliás, é a única forma de juntar patrimônio no Brasil, e não raro fugir dos impostos. A especialização deles é falar, falar, falar, igual ao Lula, quando abre a boca somos forçados a nos retirar ou trocar de canal na TV. Tanto política dá dinheiro que sobra até para "comprar" a mídia. Estão faltando espelhos no mercado, ou melhor, a "cara-de-pau" é tanto que espelho já não resolve.

Anônimo disse...

Eta!!!O pior é que pelo visto o glorioso PMDB, ta podre do Oiapoque ao Chui! E pelo historico apresentado por outros partidos oriundos do MDB e Arena não sõ lá grande coisa.Pois é o PT que tanto atacou, que para boa parte do povo era exemplo de conduta, atacand erros e defendendo o certo, mostrou-se ser a criaura mais sedenta de anos sem quase nada!

Anônimo disse...

Como disse Jarbas Vasnconcelos, no PMDB só tem safados, e o cacique é o Sr. Renan