Obrigatoriedade do diploma para o exercício do jornalismo: uma visão

Enviado pelo amigo e acadêmico em jornalismo Jota Ninos. O blog publica a interessante visão do colega.

Ainda estou meio confuso com a traulitada do STF na obrigatoriedade do diploma de jornalismo. Sempre fui contra essa postura não porque esteja terminando, finalmente, um curso de jornalismo, depois de 25 anos de atividades na área. Meu argumento sempre foi de cunho sindical, acreditando que sem o diploma a organização dos jornalistas se enfraqueceria. Até ajudei a divulgar as campanhas da Fenaj contra essa proposta.

Aproveitando as férias, acompanhei durante o dia os debates na internet e não cheguei à uma conclusão. Os argumentos de ambas as partes tem grande fundamentação. Mas ofereço um interessante link enviado pela jornalista santarena Alessandra Carvalho, que é professora no Rio de Janeiro e ministrou uma disciplina para a minha turma no início do ano. O autor faz uma análise interessante e dá uma nova luz ao tema. Não sei se todos concordarão com ela, mas achei pertinentes algumas colocações.

http://webmanario.wordpress.com/2009/06/18/o-fim-do-diploma-e-o-comeco-de-outro-jornalismo/

Para os colegas que tem problemas para acessar links em suas empresas (um deles me confidenciou que a política da empresa é não permitir o acesso aos links para evitar contaminação por vírus!!!), digitem o nome do site: webmanario.wordpress.com e busquem o artigo postado hoje sobre o assunto.

--
João Georgios Ninos
(Jota Ninos)

2 comentários:

Mara disse...

Imaginava que se o supremo definisse esta questão dando um parecer favorável para a obrigatoriedade do diploma,isto na pratica significaria um aprimoramento na qualidade dos pretendentes a esta profissão. A selleção mais elaborada e final seria feita pelo proprio mercado..na prática..
Reconheço que possuimos jornalistas de valor e qualidade, que não têm diploma. Mas são excessões. Agora qualquer um pode se dizer jornalista, porque vivemos numa democracia que assegura a livre expressão e isto permite exercer a profissão(?) sem nenhum preparo técnico ou acadêmico..e aí questiono o resultado do julgamento do supremo.
Não temos uma educação pública de qualidade, que poderia servir de base para no mínimo a elaboração de tecnicas de linguagem corretas para a elaboração de um texto, com coerência. No entanto,tenho lido pessoas esclarecidas desta área com argumentos sólidos para a eliminação do diploma, a polêmica portanto mesmo definida pelo julgamento, continua.

Val-André Mutran disse...

Você foi no ponto central Mara. E tem mais:
O STF receberá, desde já, a missão de julgar a necessidade de diploma para o exercício de outras profissões. É apenas uma questão de tempo e a guerra motivada pelo corporativismo de cada atividade será um probl;emão.
É só aguardar.
Abs e volte sempre ao blog com seus comentários inteligentes.