Irmã de Michael Jackson diz que ele foi assassinado por dinheiro

'Sei quem assassinou Michael', diz irmã do rei do pop

Latoya Jackson diz que cantor foi morto em conspiração por dinheiro.
Ele 'valia mais morto que vivo', disse, em entrevista a tabloides ingleses.

Da EFE

Reprodução

Foto: Reprodução 

Site do jornal News of the World mostra entrevista de Latoya Jackson (Foto: Reprodução)

Latoya Jackson é a capa de dois dos principais jornais sensacionalistas britânicos neste domingo (12), o "News of the World" e "The Mail on Sunday", que oferecem entrevistas nas quais a irmã do "rei do pop" assegura que Michael foi assassinado e que ela sabe quem são os assassinos.

Cobertura completa: morte de Michael Jackson

No "News of the World" Latoya afirma que são várias as pessoas responsáveis pela morte de seu irmão e que a razão foi "uma conspiração para ficar com o dinheiro de Michael".

Suas declarações foram feitas dois dias depois que o chefe da Polícia de Los Angeles admitiu que o assassinato era uma das linhas de investigação, algo sobre o que Latoya não tem dúvidas.

"Houve uma conspiração. Acho que foi tudo pelo dinheiro. Michael valia mais de US$ 1 bilhão (cerca de R$ 2 bilhões) em ativos por direitos de difusão musical e alguém o matou por isso. Valia mais morto que vivo", diz a irmã mais velha do cantor, que não dá nomes em nenhum momento sobre quem possam ser os assassinos.

Latoya assegura que esse "grupo de pessoas" roubou US$ 2 milhões em dinheiro e várias joias da casa de seu irmão, que o viciaram às drogas, que o isolaram de sua família e amigos "para que se sentisse só e vulnerável", e que o obrigaram a trabalhar "até a extenuação" para continuar ganhando dinheiro.

Michael, segundo o testemunho de Latoya, não queria dar a série de 50 shows que deviam ter começado nesta segunda-feira em Londres.

Mais aqui.

Nenhum comentário: