Carlos Minc - O Ministro que fala o que não pensa

Já vai tarde
A droga de ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) deixa o cargo só em março, para tentar se eleger alguma coisa, no Rio. Com os votos, claro, dos colegas da marcha de apologia ao consumo de maconha. O problema é os dementes se lembrarem da participação dele.

Ele foi desmascarado aqui. Vejam

8 comentários:

Anônimo disse...

Caro Wal,
Gostaria de ter este vídeo, para mostrar em uma apresentação que vou fazer em uma faculdade para a turma de publicidade, mostrando o porquê do estado de Carajás, e esta falta de respeito do ministro com os empresários do sul do Pará é um ótimo exemplo.
1 Grande abraço Walmor Costa
Planet Comunicação

Val-André Mutran disse...

Olá amigo Walmor,
Vou solicitar o Daniel, nosso assessor ai em Marabá para entregar uma cópia em DVD.
Amanhã faço o pedido.
Abraços e boa sorte na sua apresentação.

Sidclay Prazeres disse...

"Panis et circences"
Séculos se passaram e a política do "pão e circo" continua.
Funcionários públicos, vereadores, prefeitos, deputados, senadores, governadores, presidentes e ministros despreparados, e muitos outros, claro.
Mas vejamos pelo lado positivo, essas mesmas criaturas em seus cargos pomposos, em boa parte legitimados pelo voto popular, ou via concurso(o que não garante competência para desenvolver qualquer atividade) não deixam de nos oferecer o circo, a piada de todo dia.
A nós cabe dar boas risadas, motivos não faltam observem:
Deputado latifundiário, pecuarista e agricultor, cujas terras foram doadas pelo governo, que a exemplo de outros agricultores, certamente toma empréstimos e financiamentos agrícolas , dinheiro geralmente investido em propriedades urbanas e outros negócios, como a política por exemplo(sim, esse é hoje um negócio altamente lucrativo), enviam seus filhos para se educarem no exterior, desfilam com seus carrões e caminhonetes importadas, cruzam o pais em seus jatinhos e helicópteros, e na hora de devolverem aos cofres públicos o capital tomado, renegociam, rolam e até tem suas dívidas anistiadas, cria embate com Ministro, de competência no mínimo questionável, que faz apologia ao uso da maconha, pela apresentação de políticas ambientais que inibem o desmatamento da Amazônia, mas que certamente prejudica e muito os eleitores do deputado, além é claro de comprometer suas receitas mensais .
Eu não me envergonho em ser brasileiro não, esses dois exemplos reforçam a tese defendida por muitos que a renovação é necessária, VOTE NO NOVO – RENOVAÇÃO JÁ!!!!!

Val-André Mutran disse...

Sidclay Prazeres,
Seu desconhecimento em relação ao deputado Giovanni Queiroz é notório e sua avaliação sobre o parlamentar envolta em forte componente ideológico.
É um direito seu tal opinião, obstante ela fosse embasada em verdades e não em suposições, como você as coloca aos leitores.

Sidclay Prazeres disse...

Caro Val-André.
Pesquisei, encontrei, lí e me informei, a sigla ARENA diz tudo e...
Me desculpe desconhecia suas atribuições, posição no mínimo complicada.
Minhas defesas são ideológicas sim, partidárias não.
Abraços.

Adriano disse...

É incrivel como tem imbecil baba ovo que aprova os atos discriminatórios e mesquinhos do senhor Carlos Minc, o Ministro almofadinha, é muito fácil o Ministro sacanear com o produtor rural da Região Norte do País, usando o IBAMA, um Instituto improdutivo, que mais parece uma bolsa de valores do que um Instituto sério e depois se refugiar nas salas refrigeradas de seu Ministério, espero um dia ter a sorte de poder debater com esse almofadinha e seus baba ovos a situação dos produtores rurais do meu Estado do Pará.

Sidclay Prazeres disse...

Caros compatriotas.

Eu recorro muito a história para me informar, não àquela que nos meus tempos idos de colégio ensinavam, mas a real, que todos hoje tem acesso graças a democracia.
Eu não me lembro de ter defendido esse ou aquele político, até porque atualmente creio que nenhum mereça nossa defesa, afinal nós vivemos do resultado de nossa labuta diária, sem nenhum tipo de privilégio, eles vivem de benefícios partidários, ludibriando a população com suas ações, quase sempre de interesse das minorias que ainda usufruem das riquezas de nossa linda nação.
Abraços.

Anônimo disse...

Carlos Minc, como ministro, é brincadeira!!! Ele acha que todo produtor rural do norte do Brasil é bandido!!!