PT e PMDB divergem sobre reajuste para aposentados

Os dois maiores partidos do Congresso não se entendem quando se trata de solucionar o problema dos aposentados

CÂMARA

Um mal-estar entre o presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), e o PT deve adiar mais uma vez a votação do projeto que garante a todos os beneficiários da Previdência Social o mesmo aumento concedido ao salário mínimo.

Lideranças do PT não gostaram de Temer ter incluído o projeto na pauta de hoje mesmo sabendo que, desde junho, ministros tentam negociar uma proposta alternativa com os aposentados.

Para o Executivo, o reajuste unificado, que também beneficia os 8,1 milhões de aposentados que ganham acima do mínimo, teria um impacto de R$ 6,9 bilhões nas contas da Previdência em 2009.

"É uma emenda insustentável para o governo federal. Não é o momento para se aprovar um tema como esse", afirmou o ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais). "A prioridade número zero agora é o pré-sal", disse o líder petista, Cândido Vaccarezza (SP).

Temer diz não retira o assunto de discussão, mas lideranças da base adiaram a votação de uma MP que trancará a pauta a partir de hoje.

2 comentários:

Anônimo disse...

Se o PMDB não tomar cuidado vai ficar desmoralizado igual ao PT perante a oponião publica, porque o PT pelo menos com os aposentados do Brasil já estar, fora PT.

Antonio D Agrella disse...

Deputados do PT e do PMDB, precisará dos votos dos aposentados, para reelegerem, portanto devemos saber quem é contrário aos reajustes reais iguais ao do salário mínimo, até que cada aposentado recupere seu poder de compra dignamente.