Reajuste dos aposentados tranca pré-sal

Deputados da oposição querem que projetos de aposentados sejam votados antes do recesso parlamentar

A semana de votações começa agitada na Câmara, com o movimento de deputados dos partidos de oposição que ameaçam obstruir a pauta de interesse do governo — como os projetos de lei do pré-sal — em troca da votação das propostas que tratam do reajuste único dos aposentados e pensionistas do INSS (Projeto de Lei 1/07) e do fim do fator previdenciário (PL 3.299/08). Mas os líderes do governo afirmam que as propostas só deverão ser votadas ano que vem, porque os projetos do pré-sal têm prioridade no momento.

Hoje, centrais sindicais vão se reunir em Brasília para discutir se fecham acordo ou não com o governo. O presidente Lula quer apoio para apresentar medida provisória ou PL com proposta de reajuste e da fórmula 85/95 (que convive com o fator previdenciário e o mantém) e outros itens.

Aposentados e pensionistas do INSS prometem fazer barulho na Câmara para pedir a aprovação dos projetos originais hoje. Eles são contra a proposta do governo, que impede a equiparação no INSS e a recuperação do poder de compra dos benefícios.

O primeiro projeto do pré-sal que abre a pauta — se houver desobstrução — é o do deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que apresenta substitutivo com a definição dos p<CW-13>ercentuais de royalties. O texto prevê elevação do percentual de 10% para 15% sobre a produção total e redivide os percentuais de destinação. Assim, os novos contratos de exploração e produção serão feitos pelo modelo de partilha, conferindo à União a propriedade sobre o petróleo da região.

O projeto que institui o Fundo Social, que tem como relator Antonio Palocci (PT-SP), ex-ministro da Fazenda, cria poupança que vai financiar iniciativas em Educação, Saúde, Cultura, Ciência e Tecnologia, além de prever ações voltadas às mudanças climáticas. A capitalização da Petrobras será decidida na votação da matéria e faz com que o governo repasse à empresa títulos equivalentes a 5 bilhões de barris. Trabalhadores que investiram o FGTS em ações da estatal ficam de fora. Como acionistas minoritários, só poderão participar com recursos próprios.

Por último, projeto que cria a nova estatal, a Petro-Sal. Executivos contratados só poderão ir para outras empresas após quarentena de quatro meses.

5 comentários:

Anônimo disse...

Infelizmente, não há como levar o governo atual a sério e nem o Brasil.
Lula, filho das empreiteiras, não leva jeito de filme.
A curiosidade nos leva a ler, nas letras menores, quem são os patrocinadores do filme mais badalado de 2010, "Lula, o Filho do Brasil" . São eles: Senai, Camargo Correa, GDF Suez (Usina de Jirau), EBX (do neomega empresário Eike Baptista), OAS, Odebrecht, JBS (19% pertencem ao BNDSPar), Neoernergia (Coelba, Celpe e Cosern), CPFL, Grandene, Hyundai, Souza Cruz e Rio Claro (do Grupo Odebrecht). Empreiteiras, distribuidoras de energia elétrica e grandes "financiados" pelo BNDES, na maior parte. Nunca antes neste país um filme nacional recebeu tanto dinheiro, tantos incentivos, tanta divulgação. Até ingressos "subsidiados" estão sendo vendidos às empresas. O filme será levado até onde "o diabo perdeu as botas" do país, inclusive por meio de cinemas itinerantes. Fala-se na venda de DVDs da "obra" por R$ 10 reais, preço de filme pirata. Fala-se em minisérie na TV. Nenhuma outra obra do cinema brasileiro mereceu tal tratamento. E alguém consegue, em sã consciência, achar que tudo isto é "normal"?

Anônimo disse...

Serra acabou de perder o que ainda não tinha ganho.
Lula não é o único a articular pela rejeição do projeto de lei que vincula os reajustes dos aposentados e beneficiários do INSS aos índices aplicados ao salário mínimo. O governador José Serra (PSDB), entrou em campo pedindo a líderes de seu partido no Congresso o veto à proposta. O problema é que deputados e senadores tucanos e democratas tratam o tema como uma forma de arrematar uma boa bandeira para as eleições no próximo ano e, ainda, tentar amenizar a impressão de que a gestão de Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, foi maléfica para a categoria. Argumentam que, nesse momento, não podem jogar apenas pensando no que é bom para o pré-candidato à corrida presidencial em 2010. Afinal, dizem, eles também precisam se eleger e sem os aposentados como aliados fica difícil.

Anônimo disse...

Bom, se o Serra está agindo nos bastidores, deve ser um cara-de-pau igual ao governo atual. É simples, nas próximas eleições não devemos votar na Dilma, nem no Serra. Por enquanto fica sobrando a Marina, mas se ela começar com essa história de jogo duplo, vamos de voto em Branco. Já imaginaram o susto dessa raça de falsos? Olho vivo, não se deixem enganar.

Val-André Mutran disse...

Ao contrário do que é cantado em verso e prosa, anônimo das 7:14 PM, o PT e o PSDB são praticamente idênticos no exercício do poder.

Anônimo disse...

O governo do FHC foi uma tragedia para os aposentados, porque dele, só podíamos esperar aquele mal governo, que tambem, obteve a reeleição, agora, o do Lula, foi pior e terrível, porque prometeu que ia arrumar a vida dos aposentados e, traiu, pisando em cima, e, na cara dura, orienta seus
asseclas e eunucos a votar contra os projetos do Senador Paulo Paim, de seu proprio partido!

O Serra se, eleito for, seguira a mesma conduta, alias, sera pior, pois anexara a tragedia do FHC e o pior e o terrível do Lula e, com aquela cara deslavada continuara pisando nos aposentados.

Infelizmente, não temos mais opções, quem quer que entre, continuara pisando e arrochando os aposentados, mentindo que a Previdencia é deficitaria.

Os militares entregaram o poder, não foi por pressão nenhuma, acreditando que nossa classe política, pudesse ter homens dignos e competentes para governar. Que tragedia, só aparecerem incompetentes, mentirosos, corruptos e acomodados, poucos se salvam.

Não temos segurança, não temos saúde, educação, transportes...
Se não fosse os trabalhadores e empresarios de todos seguimentos, segurar este país, estariamos arruinados.

A respeito do filme,
Os filhos do Brasil, são aqueles
que trabalharam e trabalham (aposentados, trabalhadores, empresários), que cumprem o que prometem, que enfrentam a falta de segurança e os traficantes, todos os dias, no Rio e nos demais Estados, que sofrem por falta de hospitais e médicos, que sofrem sem escolas, merenda e falta de transportes, que sofrem tomando os trens e metros enlatados todos dias para ao trabalho, que sofrem cortando cana o dia inteiro e sem ter o que comer, que sofrem quando veem sua fazenda invadida e seus trabalhadores sendo humilhados.

Qual é gente? agora vão homenagear o Vilão???
Não da para se conformar po!

Estão pensando que a população é burra?
O que aconteceu de bom nestes 8 anos de mandato????

Sera que este carisma de 80% é real??

Ta bom para quem esta mamando e quem esta participando do jogo, por isso, estão patrocinando este filme infame, para continuar este jogo de "Sai um ruim, entra um pior, sai um ruim, entra um pior, sai um ruim e entra um pior, e com isso, vão enganando o povo e massacrando os aposentados.
Chega de hipocrisia, arrocha e mente para os aposentados e agora quer ser homenageado?????