Pizza com tempero petista para absolver Sarney e Virgílio

Berzoini diz que petistas arquivarão as denúncias contra o presidente do Senado

Paulo Duque dará um voto de desempate em favor de Sarney, de quem é colega de partido, se o embate entre governo e oposição ficar empatado
O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), está a um passo de se tornar um dos maiores beneficiários da demonstração de apoio do PMDB à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, durante o depoimento da ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira, ontem, à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Se for seguida a recomendação do presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), os petistas vão votar hoje a favor de Sarney no Conselho de Ética da Casa.

“Eu defendo que o PT vote pelo arquivamento por conta de uma questão fundamental: a oposição transformou esse assunto em luta política. Quer fazer com o Sarney o que fez com Renan Calheiros há dois anos. Não verificamos ânimo para uma investigação séria. Maior prova disso foi a sessão da CCJ(1). Muito longe de trabalhar pelo esclarecimento, estava se tentando o tempo todo colar a versão de que a ministra Dilma mentiu. Eles querem levar esse lengalenga até o ano que vem”, disse Berzoini à imprensa.

A declaração do presidente petista era tudo o que o PMDB adoraria ouvir do líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP). Mas o senador, desautorizado por Berzoini na defesa da abertura de investigação no Conselho de Ética do Senado, e pressionado a indicar Romero Jucá (PMDB-RR) e Roberto Cavalcanti (PRB-PB) como titulares no colegiado, preferiu colocar o cargo à disposição.

“Eu me recuso a fazer esse tipo de coisa. Se for para fazer, que seja por outro líder”, afirmou Mercadante, via assessores.

Missão
Jucá e Cavalcanti foram os nomes que aceitaram a missão de votar em favor de Sarney, dentro do bloco de apoio ao governo, e se apresentaram para o conselho no lugar de Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) e João Ribeiro (PR-TO), que renunciaram ao colegiado. Os atuais suplentes são todos do PT: a líder do governo no Congresso, Ideli Salvatti (SC), além de Delcídio Amaral (MS), Eduardo Suplicy (SP) e Augusto Botelho (RR). Ideli e Delcídio têm como “plano A” se ausentarem do plenário na reunião de hoje. Nesse caso, Suplicy e Botelho votariam pelo desarquivamento das representações, reforçando a oposição, que tem fechados seus cinco votos e conta ainda com o do PDT. Os dois petistas desequilibrariam para 8 a 7, em favor da oposição, já que o presidente, Paulo Duque (PMDB-RJ), não vota.

Ciente desse problema, Berzoini conversou com Ideli na hora do almoço, assim que terminou o depoimento de Lina na CCJ do Senado. Falou ainda com Delcídio. Nos bastidores, até os senadores do partido reclamam da condução de Mercadante. Eles consideram egoísmo e exposição gratuita dos colegas de bancada a resistência a indicar senadores de outros partidos. Acusam-no de querer apenas fazer bonito perante os eleitores de São Paulo. Para muitos senadores, se Sarney pode ser o maior beneficiário do depoimento de Lina, Mercadante é hoje um perdedor. Ou o cargo ou o discurso perante o eleitorado paulista. Ontem à tarde, um peemedebista reclamava que o líder do PT é muito de seguir o que deseja a mídia. E, agora, na hora de nadar contra a corrente, pediu para sair.

1- Revide
Em resposta à manobra da oposição que resultou no depoimento da ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, a bancada governista rejeitou ontem, numa tacada só, uma leva de requerimentos polêmicos apresentados na CPI da Petrobras. Com a decisão, foram arquivados os pedidos de nova convocação da ex-chefe do Fisco e de informações sobre a prestação de contas da Fundação Sarney.

Fonte: Correio Braziliense.

3 comentários:

Anônimo disse...

Graças a Deus eu não posso comer PIZZA, então não preciso aceitar.
Quero outros senadores que não me deixem morrer de fome e me ofereçam refeições mais apropriadas.

Anônimo disse...

Com toda a energia digo; FORA LULA, DILMA, HENRIQUE FONTANA E TRUPE. Não pagamos impostos para alimentar urubus. Se reza braba desse certo não restariam nem cinzas de vocês.

Anônimo disse...

Henrique Fontana está mal na "foto" em Porto Alegre. Lá estive em viagem recente e ele conseguiu estar entre os mais odiados. Para quem não quis exercer a medicina e se dedicou a política, pelo que ouvi, terá que retornar a faculdade para se reciclar. A dúvida será! terá clientes? Não inspira confiança na população.